O Alkantara Festival iniciou-se no dia 13 de novembro e prolonga-se até dia 30, contando com sessões matinais ao fim-de-semana. O festival apresenta cerca de 19 espetáculos e projetos artísticos ao vivo.

Com o objetivo de salvaguardar a segurança de todas as equipas e espetadores, Carla Nobre Sousa, codiretora artística do festival, afirma em comunicado que “conseguimos adaptar o programa, graças à colaboração e grande abertura das companhias artísticas e das salas que são coprodutoras do festival”.

O Festival Internacional de Artes Performativas reúne em Lisboa dezenas de artistas de várias lugares, apresenta ao vivo nove espetáculos e projetos artísticos em estreia absoluta e quatro em estreia nacional.

Entre a programação do festival destacam-se: Tafukt, que marca o regresso ao Alkantara do coreógrafo de origem marroquina Radouan Mriziga; Sexta-feira: O fim do mundo… Ou então não, o quinto capítulo do projeto “Sete Anos, Sete Peças” da coreógrafa Cláudia Dias; Grinding the wind, um projeto da artista palestiniana Dina Mimi com comissariado de The Consortium Comissions e The Anger! The Fury!, que procura uma mistura radical de otimismo alimentado pela raiva de querer mudar o mundo, da coreógrafa e dramaturga Sónia Baptista. Estes espetáculos apresentam-se em estreia absoluta.

No que toca a estreias nacionais, Farci.e, de Sorour Darabi, CUTLASS SPRING da coreógrafa canadiana Dana Michel,  Histoire(s) du Théâtre II, do coreógrafo congolês Faustin Linyekula e L’Homme rare de Nadia Beugré completam a programação.

O Alkantara Festival 2020 acolhe ainda a antestreia de Glottis no Centro Cultural de Belém, da coreógrafa Flora Détraz, em que três figuras comunicam com o desconhecido.

O São Luiz Teatro Municipal recebe Terra Batida, uma rede proposta por Marta Lança e Rita Natálio, que no festival apresenta performances, pesquisas, conversas e debates, ao vivo e online, todas com entrada livre. Conta com a participação de Ana Rita Teodoro, Maria Lúcia Cruz Correia, Sílvia das Fadas, Vera Mantero e, em estreia absoluta, as performances Superintensiva de Marta Lança, Rasante de Joana Levi e Fóssil de Rita Natálio.

As duas edições anuais do Fórum Cultura do PISTA, organizado em parceira com o Polo Cultural das Gaivotas, vão decorrer aos sábados, nos dias 21 e 28 de novembro, às 15h. Decorrerá em participação livre e transmissão online em alkantara.pt. O primeiro encontro dedica-se ao tema A coprodução nos bons e maus momentos e é moderado pela gestora cultural Vânia Rodrigues. O segundo encontro reflete sobre Representatividade Negra nas Artes Performativas: Significados, Limites e Políticas de Ação Afirmativa e conta com a coordenação da artista e investigadora Raquel Lima.

Os bilhetes já adquiridos para espetáculos do Alkantara Festival 2020 e sofreram alterações de datas e horários, devem ser trocados nas bilheteiras de cada teatro.

Texto de Patrícia Silva
Fotografia de ©MEHRDAD MOTEJALLI

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.