Amanhã, dia 17 de dezembro, termina um ano de Diga 33, Poesia no Teatro, no Teatro Rainha, nas Caldas da Rainha, com os jornalistas convidados Francisco Duarte Mangas e Augusto Baptista.

O Teatro Rainha apresentou desta forma o programa do Diga 33 para 2019: «propomos a continuação de uma viagem pelos territórios do poema, alargando a panorâmica para que seja possível ver mais e melhor. Queremos agora ouvir não só poetas e editores, mas também os académicos, os críticos, os tradutores, os promotores do debate que mantém acesa a chama. Queremos saber como era no passado, nessa Grécia longínqua, e se em alguma coisa é diferente neste “tempo detergente”. Vamos tentar perceber se a poesia é mesmo intraduzível, como tantas vezes se apregoa.»

Ao longo do ano, foram convidados perto de 20 oradores, como foram José Anjos em janeiro e Margarida Vale de Gato em julho. Em dezembro, será a vez dos jornalistas escritores Francisco Duarte Mangas e Augusto Baptista, autores do livro O medo não podia ter tudo (1999), motivo que os leva a ser convidados em dupla.

Francisco Duarte Mangas nasceu em Vieira do Minho, em 1960. É jornalista, poeta, ficcionista, com bibliografia premiada – Prémio Carlos de Oliveira, Prémio Eixo Atlântico de Narrativa Galega e Portuguesa e Grande Prémio de Literatura ITF. Augusto Baptista nasceu em Oliveira de Azeméis, em 1946. Estudou na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, é jornalista e cruza desenho, texto e fotografia no seu trabalho, sendo especial cultor das formas breves. Histórias de coisa nenhuma e outras pequenas significâncias (2000) e O caçador de luas são duas das suas obras.

Local: Teatro Rainha, nas Caldas da Rainha

Data e hora: 17 de dezembro, às 21h30

Preço: entrada livre

Fotografia disponível no Facebook

Se queres saber mais sobre a agenda da cultura em Portugal, clica aqui.