fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

EP Colab: assiste à conversa onde vamos debater as Políticas de Sustentabilidade nas Artes

Já podes assistir à conversa que junta a historiadora de arte Blanca de la Torre…

Texto de Gerador

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Já podes assistir à conversa que junta a historiadora de arte Blanca de la Torre e os artistas visuais Elena Lavalles e Leonel Moura para debater as Políticas de Sustentabilidade nas Artes. Vê o vídeo já aqui:

Blanca de la Torre é historiadora de arte, crítica e curadora de exposições especializada em arte contemporânea internacional. Especialista em arte e sustentabilidade sob um prisma social que abrange ecologia e política, foi no ARTIUM, Centro-Museu Basco de Arte Contemporânea, que trabalhou como curadora responsável por exposições de 2009 a 2014. A sua carreira profissional internacional abrange vários campos, não apenas como curadora de exposições, mas também como palestrante, diretora de seminários, workshops para artistas e gestores culturais, residências curatoriais e simpósios internacionais.

Elena Lavalles é artista visual e investigadora licenciada em Belas Artes. Possui exposições individuais e coletivas em cidades como Los Angeles, Nova York, Singapura, Buenos Aires, Cidade do México e Madrid. Recebeu diversos prémios, bolsas e residências como "Generación 2018" (La Casa Encendida, Madrid); Bolsas "Multiverse" para Criação em Videoarte 2017 (Fundación BBVA, Bilbao); Bolsa de estudo NYSCA 2017 da Electronic Media & Film Finishing Foundation (Nova York); a bolsa PICE da Acción Cultural Española; e participação na XXV Edição de Circuitos de Artes Plásticas da Comunidade de Madrid, Intransit 2014 ou a residência para artistas da Casa de Velázquez, entre outros.

Leonel Moura é pioneiro na aplicação da Robótica e da Inteligência Artificial à arte. Desde o princípio do século criou vários robôs pintores. As primeiras pinturas realizadas em 2002 com um braço robótico foram capa da revista do MIT dedicada à Vida Artificial. RAP, Robotic Action Painter, criado em 2006 para o Museu de História Natural de Nova Iorque, encontra-se ainda na exposição permanente. Tem vários livros publicados sobre a nova arte e a relação arte e ciência. Em 2009 foi nomeado Embaixador Europeu da Criatividade e Inovação pela Comissão Europeia. Recentemente expôs no Grand Palais, em Paris e no Museu UCCA, em Beijing.

O programa EP COLAB, promovido pela AECID – Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento, Embaixada de Espanha em Portugal e o Gerador, é um programa de atividades digitais que pretende colocar em contato artistas e entidades culturais espanholas e portuguesas. Descobre mais aqui.

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

7 Julho 2022

Mãos Dadas: Dia Mundial do Chocolate

15 Junho 2022

O programa EP COLAB junta os chefs Leandro Gil e Pablo Donoso numa batalha gastronómica

5 Junho 2022

De Mãos Dadas: Dia Mundial do Ambiente

20 Maio 2022

Maribel López: “A cena artística portuguesa é fortemente arraigada, mas com uma visão internacional”

2 Maio 2022

Assiste a 6 de maio à conversa dedicada às tendências e desafios da indústria literária

2 Maio 2022

De Mãos Dadas: Dia Mundial do Atum

29 Abril 2022

Dia Mundial da Dança: o corpo enquanto prática de elaboração social

6 Abril 2022

De Mãos Dadas: Dia Internacional do Desporto

27 Dezembro 2021

Mescla com Capsula

22 Dezembro 2021

Raül Refree: “A música foi feita para contar emoções puras que não se expiram”

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0