Entre os dias 21 e 7 de setembro, Vila Nova de Famalicão vê diversos dos seus espaços públicos a serem ocupados com conferências, espetáculos, perfomances, instalações e criações originais que pretendem despertar o debate em torno da criação.

Dividida em duas áreas essenciais, (In)formação e Apresentação, a programação do GERMINAL arranca com uma semana dedicada à formação. Serão dois os workshops orientados por José da Silva e Iria Sobrado, que pretendem apresentar formas alternativas na prática de construção de personagem e cena, e o workshop desenhado por Constança Araújo Amador, propõe formas alternativas de explorar e contar a natureza.

O GERMINAL arranca a programação aberta ao público geral com a inauguração das instalações resultantes das residências artísticas dos últimos meses. Edgar Massul, artista plástico, irá apresentar diversas instalações desenhadas para o Parque da Devesa. Intervindo directamente na paisagem, os objetos de Massul irão promover dinâmicas, desafiando à ação e observação com público circundante.

Fotografia, instalação e som uniram-se em “Confessionário”, uma instalação projetada por Patrícia Barbosa, Pedro Barbosa e Inês Castanheira. Um laboratório que recorre às artes multimédia para registar e estudar memórias, e os seus efeitos no tempo, de todos os que viveram a Guerra do Ultramar. A instalação ficará patente até 7 de setembro na Casa do Território, no Parque da Devesa. Ambas as instalações serão apresentadas pelos artistas numa conversa aberta com o público.

Numa continuidade com o programa do ano passado, o GERMINAL e o Planetário do Porto trazem a VN Famalicão a videodança original “Histórias de além terra”, de Leonor Keil, no formato Planetário Portátil. A projeção será seguida de uma conversa com os autores, público e curiosos.

Novidade maior este ano, o Ponto de Encontro GERMINAL. Um espaço de partilha e discussão aberta que servirá como ponto de contacto entre artistas, a cidade e o público da mostra. Também no Parque da Devesa, o Ponto de Encontro GERMINAL pretende ser ainda um microfone aberto, onde artistas e músicos locais podem partilhar os seus processos de trabalho de forma informal. Tchakili café-poesia é uma das propostas – um projeto que apresenta eventos passados, convidando-se a novas colaborações através da troca de comida, poesia e música.

O GERMINAL propõe ainda atividades musicais que passarão por propostas de referências nacionais de free jazz, clássica, improvisação e música digital. Numa longa parceria com o Cão Danado, o saxofonista Rodrigo Amado irá ocupar a concha acústica do Parque da Devesa com um concerto improvisado com o guitarrista Flak, o contrabaixista Hernani Faustino e Jorge Queijo na bateria. Estão ainda contemplados concertos pelo compositor esloveno Gaspar Piano e a pianista Eliana Veríssimo. O Ponto de Encontro GERMINAL, dará mote a happenings musicais entre o compositor, a pianista e músicos que se queiram juntar ao desafio.

Dando continuidade a uma cooperação de 7 anos com o Cão Danado, Pascal Luneau,  apresentará numa conversa o projeto “Outside”, um programa de formação, orientação e promoção para estudantes e ex-estudante da Academia Contemporânea de Espetáculo de Famalicão. Será ainda projetado o filme “Assentos”, com realização de Luneau. Este é o resultado fílmico de um workshop e um espetáculo realizados na primeira edição GERMINAL, entre o realizador e treze jovens actores de Famalicão, sobre o ato de estar sentado com, ou diante de outras pessoas.

No GERMINAL 2018, o americano Davis Freeman apresentou os espetáculos “Expanding Energy”, “Karaoke Art”, “Do My Mouth” e “7 Promessas” com a participação de artistas, performers e jovens estudantes das artes do espetáculo locais e nacionais. A estreia de “It all comes out at night” é o culminar de um processo de trabalho resultante de uma residência artística de Davis Freeman e de mais de dez jovens atores que responderam à provocação através de uma open call nacional. No Parque da Devesa será apresentado um roteiro de reflexão sobre a biodiversidade e o atual panorama sócio-político, onde surgem personagens imaginárias que congregam a utopia da arte com a distopia vigente. Uma criação original multifacetada, onde se cruzam linguagens de dança, teatro, vídeo e luz.

No último dia do GERMINAL, o público é convidado a visitar as instalações do antigo complexo industrial A Reguladora, atual sede do Cão Danado. É aqui que Iria Sobrado estreia a criação original “Estado Cru” – um diálogo imaginado com um interlocutor ausente, onde é tecida a queda de alguém que se recusa a cair, lutando contra si mesma. Uma proposta teatral numa cena que limita o movimento de Sobrado, onde palavra, expressão corporal e o silêncio estão em jogo.

GERMINAL agrega em si momentos de criação através da produção de residências artísticas que irão apresentar os seus resultados na próxima edição. Estas são novas formas de habitar o espaço público, ensaiando possibilidades artísticas que transformem o lugar, desafiando estratégias de diálogo. O encontro integrará uma espaço de apresentação da associação cultural Cão Danado, dando a conhecer o trabalho da companhia através da projeções de filmes e conversas que culminam processos de trabalho.

Local: Vila Nova de Famalicão

Data : 21 de agosto a 7 de setembro

Preço: entrada livre

Fotografia de Ahmad Odeh disponível via Unsplash

Se queres ler mais sobre a agenda da cultura, clica aqui.