Depois de editar "Samba de Guerrilha", em fevereiro, Luca Argel sobe agora ao palco do Teatro da Trindade Inatel, no dia 27 de abril, para o apresentar e levar-nos numa viagem no tempo, onde conhecemos histórias e personagens do combate ao racismo, escravidão e desigualdades.

"Samba de Guerrilha" começou em 2016, nascido de um concerto-workshop sobre a história política do samba. Fora dos palcos, este conceito desenvolvido por Luca Argel, radicado no Porto há quase 10 anos, tomou a forma de artigos escritos, seminários, programas de rádio, até finalmente se efetivar num 4.º álbum — e o primeiro de versões. Depois de cinco anos, o conceito desenvolvido pelo cantautor é apresentado em Lisboa, no Teatro da Trindade Inatel, no dia 27 de abril.

Este é o regresso do artista aos palcos, depois do período de confinamento nacional, e a primeira oportunidade para assistir a esta epopeia do samba em palco, que nos leva através da sua centenária história, marcada por muita luta, glória e desventuras. Depois dos álbuns, "Bandeira" e "Conversa de Fila", em que Luca Argel nos apresentou, com o seu registo suave, a doçura e bom humor da poesia dos seus sambas, é chegada a hora de embarcar numa nova viagem.

"Samba de Guerrilha" não é apenas um disco, mas sim uma obra que reúne múltiplas expressões artísticas, desde a própria música do cantautor à narração de Telma Tvon, ilustração de José Feitor e poesia de tantos artistas. É uma samba opera, conceito emprestado da rock opera popularizado por Pete Townshend, dos The Who. Luca Argel traz assim um samba reinventado, eletrificado, nascido a um oceano de distância da tradição, onde, entre clássicos e jóias pouco conhecidas do repertório do género, ouvimos uma narrativa em forma de samba. Os temas escolhidos por Luca Argel são todos eles versões de samba já existentes mas que, juntos neste trabalho, contam a história deste género musical.

Este trabalho, ao invés de suporte físico em CD ou vinil, foi editado na forma de um jornal ilustrado, com a íntegra dos textos e canções gravadas e está disponível no digital e em todas as plataformas.

A apresentação de "Samba de Guerrilha" tem hora marcada às 20h e os bilhetes, com o valor de 10€, já estão à venda no site da BOL.

Texto de Patrícia Nogueira
Fotografia de Kristallenia Batziou

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.