Nos dias 24 e 25 de janeiro o auditório do Campo Alegre, sala do Teatro Municipal do Porto, recebe “Virgens Suicidas”, uma peça de John Romão com dramaturgia de Mickael Oliveira. Inspirada no texto homónimo de Jeffrey Eugenides e em “Mine-Haha, or On the Bodily Education of Young Girls” de Frank Wedekind, junta em palco Luísa Cruz, Vera Mantero, Mariana Tengner Barros e ginastas adolescentes.

De acordo com a descrição da peça, “Virgens Suicidas” “ataca a natureza repressiva da educação, é um chamamento distancio às armas, marcado pela inauguração e o fim do corpo adulto”. Num “espaço confinado ao feminino” as intérpretes “dedicam-se à educação física, ao teatro, à dança, num aparente ambiente idílico”. Ainda assim, “há algo de inquietante entre as paredes deste lugar”. 

John Romão é encenador, curador e programador. Dirige os seus espetáculos desde 2002, entre os quais estão “Que difícil é ser Deus” (2017), “Teorema” (2014) e “Pocilga” de Pasolini” (2015). Foi assistente de direção artística do encenador argentino Rodrigo Garcia e venceu em 2014 os Prémios Novos na categoria de Teatro. Atualmente é diretor artístico e programador da bienal de arte contemporânea BoCA, da qual também é fundador. 

Os bilhetes para “Virgens Suicidas” podem ser comprados aqui.  

Local: Teatro Municipal do Porto – Campo Alegre

Data e hora: 24 e 25 de janeiro às 21h00 e às 19h00, respetivamente

Preço: 9€

Cartaz disponível via Facebook

Se queres ler mais sobre a agenda da cultura em Portugal, clica aqui.