O Medo de Existir regressa ao Montijo entre 15 e 17 de fevereiro, no Centro Cinema-Teatro Joaquim de Almeida, e segue para o Cacém, no dia 23 de fevereiro no Auditório Municipal António Silva. O espetáculo escrito e encenado por Maria Mascarenhas é uma co-produção entre a Companhia Mascarenhas-Martins e o Cegada Grupo de Teatro, e conta com as interpretações de André Alves, Eduardo Dias, Eurico Lopes e João Jacinto.

A peça mostra um homem, num futuro distópico, que é informado de que existe uma ilha em que a sociedade se organiza de uma forma completamente diferente. Decide partilhar isso com o mundo e em vez de ser compreendido, é preso. Apesar de remar contra a maré, não desiste de defender a ideia de que a ilha existe mesmo, apesar de a única testemunha que o possa comprovar, Rafael, não tenha aparecido mais.

Maria Mascarenhas é licenciada em teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC) e começou o seu percurso profissional na Companhia de Actores enquanto atriz, produtora e assistente de encenação. Foi assistente de encenação em espectáculos dirigidos por António Terra, John Mowat e Luis Miguel Cintra. Em 2015 fundou, com Levi Martins e Adelino Lourenço, a Companhia Mascarenhas-Martins.

Os bilhetes para o Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida, no Montijo, podem ser reservados através do contacto telefónico 212327882 e do e-mail bilheteira1@mun-montijo.pt, e para o Auditório Municipal António Silva, no Cacém, através do 914616949/ 963403255 e do e-mail teatromosca@gmail.com. 

Local: Cinema-Teatro Joaquim d’Almeida, no Montijo, e  Auditório Municipal António Silva, no Cacém

Data e hora: 15 a 17 de fevereiro no Montijo, às 21h30 na sexta e no sábado e às 16h30 no domingo, e 23 de fevereiro no Cacém, às 21h00

Preço: 6€ no Montijo, 5€ no Cacém

Fotografia de ©Eduardo Martins

Se queres saber mais sobre a agenda da cultura em Portugal, clica aqui.