“Boca Ilha – O rosto que ninguém vê” regressa aos palcos na ilha do Pico, nos Açores. O espetáculo que parte do universo poético da escritora açoriana Natália Correia passa pelo Cinema Auditório da Madalena no dia 20 de junho às 21h30, integrado no Azores Fringe Festival MiratecArts.

Encenado por Nuno Gomes e com dramaturgia e interpretação de Carolina Bettencourt e Miguel Curiel, “Boca Ilha – O rosto que ninguém vê” venceu em 2017 o concurso “Jovens Criadores” do Clube Português de Artes e Ideias e já passou pelas ilhas de São Miguel e Terceira. 

Num comunicado de imprensa, Nuno Gomes revela que o espetáculo parte do “universo de Natália Correia como quem descreve a sua silhueta para, a seguir, reclamar uma existência tangível. Intrometemos Alberto Caeiro, Cesariny, Ary dos Santos, Mário de Sá Carneiro, e outros para iluminar “O Rosto Que Ninguém Vê”: são diálogos, são confrontos, são confirmações em torno de temas como a identidade, a relação com a morte, a memória de infância, o espaço geográfico e poético da ilha, o activismo político, a vivência da religião e do casamento, o sentimento do outro e de si mesmo como outro”.

Depois da apresentação no Pico, a peça de teatro segue para Palmela  (27 de julho), Setúbal (1 de setembro), Évora (23 de novembro) e Lisboa (data a confirmar). 

“Boca Ilha – O rosto que ninguém vê” é um projeto financiado pelo programa “Põe-te em cena” – Governo Regional dos Açores

Local: Cinema Auditório da Madalena, Açores

Data e hora: 20 de junho às 21h30

Preço: Entrada livre

Fotografia de Carlos Carvalho

Se queres saber mais sobre a agenda da cultura em Portugal, clica aqui.