Estreia no Teatro Viriato no dia 15 de março, Engolir Sapos, um espetáculo da Amarelo Silvestre que reflete a existência de milhares de sapos de loiça em estabelecimentos comerciais para afastar ciganos. “Como que a dizer: caro amigo cigano, aqui não és bem-vindo”, como refere o dramaturgo Fernando Giestas. 

As perguntas são lançadas no texto de apresentação da peça: “Quem somos nós que construímos sapos, quem somos nós que expomos sapos, quem somos nós que tememos sapos, quem somos nós que engolimos sapos?”

Engolir Sapos é uma peça com um pai e uma filha em palco e sapos de loiça no meio, com o intuito de provocar uma reflexão em família. O espetáculo foi desenvolvido ao longo de dois anos com residências artísticas em diferentes cidades, nas quais Fernando Giestas efetuou pesquisas bibliográficas e em vídeo, reuniu com diferentes comunidades ciganas e observou como as pessoas frequentam espaços ou convivem com a exposição de sapos de loiça. 

Em 2016 Leonor Teles lançou a curta-metragem Balada de um Batráquio, onde reflete as mesmas questões, e com a qual venceu um Urso de Ouro em Berlim. Já em 2019 saiu um artigo na Al Jazeera também sobre este tema, escrito pela portuguesa Marta Vidal, que podes ler aqui

Os bilhetes para Engolir Sapos, a peça encenada por Rafaela Santos, podem ser comprados no Teatro Viriato e na bilheteira online. A peça estará em cena nos dias 15 e 16 de março. 

Local: Teatro Viriato, em Viseu

Data e hora: 15 e 16 de março, às 21h30

Preço: 7€

Ilustração de ©Rosário Pinheiro / Amarelo Silvestre

Se queres saber mais sobre a agenda da cultura em Portugal, clica aqui.