O que era pensar num festival, principalmente um festival de verão, se não falássemos de um dos temas mais badalados: as casas de banho.

Desafiámos a revista FoME a fazer a curadoria deste espaço do recinto do festival online Oeiras Ignição Gerador e a convidar artistas visuais a decorar o interior típico de uma casa de banho que desenhámos:

Nos três dias do Oeiras Ignição Gerador, de 18 a 20 de junho, vais poder ir à casa de banho e viver uma experiência artística.

Descobre aqui quem são os artistas que vão invadir o WC

Deixamos-te aqui uma breve descrição sobre quem são estes artistas e algumas notas sobre o seu o género de trabalho que fazem. Mas se quiseres saber mais clica sobre o nome do artista e visita as páginas pessoais de cada um.

O Nuno Alecrim nasceu em Lisboa, mas hoje vive e trabalhar nas Caldas da Rainha. A sua carreira profissional sempre foi muito centrada no design gráfico, área de formação em que investiu. Há escassos anos dedicou-se mais à arte urbana com uma abordagem geométrica que nos remete para as esquadrias do design e dos padrões têxteis. Nas suas obras está muito presente referências ao tribalismo, tema em que tem centrado atenção e investigado cada vez mais nos últimos tempos.

Tiago Hesps é Tiago Proença. No início de 1998, entrou no mundo do graffiti e foi por esta via que se foi fazendo conhecer; inicialmente com forte incidência sobre a tridimensionalidade das letras e a luz como elemento dominador dos vários ambientes. Com a prática do desenho veio também o gosto pelas coisas mais rudes, cruas e a consciência de que há mais para lá das coisas perfeitas.

Vitor Julião, conhecido como Vitó Julião, é ilustrador e artista de rua. No seu trabalho sobressaem linhas fortes e definidas, com uma série de caracteres e elementos personalizados. Embora se dedique sobretudo a ilustração digital, gosta de combinar nas suas obras técnicas tradicionais.

Filipa Morgado começou a sua formação em biologia molecular e genética, mas acabou por se formar em arquitectura. Enquanto viveu na Cidade do México, entre 2013 e 2017, onde trabalhou como arquiteta, começou a explorar a área da joalharia. Depois de uma viagem pelos EUA, Canadá e Bangkok regressa a Portugal onde divide os dias entre a pintura e a cerâmica.

Rita Ravasco é formada em Artes Plásticas, vertente Pintura. Quando terminou a licenciatura, não sabendo exatamente o que queria ser, acabou por testar várias áreas dentro do universo artístico: desenho, vídeo, fotografia, pintura, entre outros. Atualmente dedica-se a criar obras que juntam o pincel e o mundo da pintura digital. 

Sérgio Braz d’Almeida tem formação em Cinema e Vídeo, frequentou o mestrado em Antropologia – Culturas Visuais na NOVA-FCSH e o curso de pintura no AR.CO. O seu trabalho incide na exploração da imagem (em movimento ou cristalizada) no cruzamento com outras artes. Atualmente trabalha sobretudo como director de fotografia para cinema e televisão.

O atelier Samuel Leite – Arquitecto desenvolve conceitos e projectos na área da arquitectura, nas vertentes da habitação, reabilitação, comércio e indústria, passando também pelo design e consultoria. Em todos os projetos em que se envolvem é sempre visível uma preocupação ambiental e humana, quer em projecto, quer na obra construída.

Rafael Fernandez, mais conhecido como Flix Robótico, tem um gosto especial por transformar objetos, paredes e lugares em obras de arte com formas geométricas coloridas. Flix sonha em transformar as ruas e a sociedade através da arte e da cultura e, por isso, continua a encher espaços esquecidos com as suas composições robóticas. 

Sofia Lobato tem formação em pintura mas é na ilustração que se encontra mais frequentemente. As suas imagens são ricas em linhas, delicadas nas formas e cheias de pequenos detalhes que só se vêm depois de um olhar demorado e cuidado. Nas suas obras os principais motivos são sobretudo elementos da natureza. 

De 18 a 20 de junho no Oeiras Ignição Gerador vamos tentar responder à pergunta Qual o futuro da cultura e da criatividade? dando voz a nomes que admiramos como Vhils, Salvador Sobral, Margarida Pinto Correia, Rui Horta, Capicua, Chef Kiko, Clara Não, André Gago, Sara Barros Leitão, Benjamim, Constança Entrudo, Matilde Campilho ou Carla Maciel, num total de mais de 40 cabeças de cartaz.

Vais poder assistir a concertos, debates, performances, apresentações, masterclasses e muitos outros momentos que reinventam a forma de viveres um festival online. Descobre tudo na página principal do Oeiras Ignição Gerador e espreita aqui o recinto que já está de portas abertas.