A Rádio Gerador é a nova voz do Gerador. Todos os meses, na última noite do mês, emitimos um programa de rádio, resultado de uma conversa à mesa com convidados de honra.

Na edição deste mês conversámos com o Francisco Correia, mais conhecido como Hipster Pimba, a Joana Mateus, da Peixaria Centenária, a Melânia Gomes madrinha da marcha da Freguesia de São Vicente, em Lisboa e o Rui Santos da Associação Recreativa dos Amigos do Paço do Lumiar.

Como sempre, no final, deixamos-te com mais um capítulo do nosso romance colectivo Modernista Tradicionalista, que sai directamente da Revista Gerador para a voz de 10 actores portugueses bem conhecidos de todos. Desta vez, falamos do capítulo escrito pelo Valério Romão e aqui interpretado pelo João Tempera.

“Uma música é pop quando muita gente ouve aquela música. Não é especificamente um género, eu não vou para casa fazer música pop.”

“Eu ainda estou à procura da Soraia Cristina, é a minha preferida. Ela tem uma cassete chamada Felicidade, que parece estar estruturada como a vida: os desamores, os encontros e a morte, no fim.”

“Já fui expulso de um sítio em Lisboa por ter posto música pimba.”

Francisco Correia, o Hipster Pimba

“A peixaria centenária existe porque nós, entre os sócios, temos uma história centenária de gerações, de várias pessoas ligadas ao peixe: a minha mãe era peixeira, a minha avó também.”

“A sardinhada na firma começou a acontecer porque nós trouxemos para a Praça das Flores uma coisa que já não acontecia há 20 anos, segundo as pessoas dali: os Santos Populares. Nós percebemos que tínhamos capacidade para organizar festas.”

“A sardinhada é um tipo de festa que tem um mood muito descontraído e desbloqueador. A forma como as pessoas se aproximam…”

Joana Mateus

“Eu nasci em Tomar mas fui para Viana do Castelo muito pequena. Eu ouvia as peixeiras na rua, a passarem à porta da minha casa a pregoarem o peixe com uma atitude, com uma garra! As pessoas paravam tudo para irem ter com as peixeiras, eu queria fazer o mesmo”

“Aos poucos as pessoas vão percebendo a alegria que é poder descer a Avenida da Liberdade, onde tens tanta gente de tanto lado, umas que te conhecem, outras que nunca te viram.”

“Eu sou a madrinha mais louca. Perco a minha marcha. Depois, quando dou por mim, já estão no Rossio e eu ainda estou no meio da avenida. Os padrinhos devem comunicar com o público.”

Melânia Gomes

“A rotina é importante para que, todos os anos, naquela data, se faça a festa”

“A associação é uma fusão entre as pessoas mais antigas do bairro. Começámos a fazer algumas actividades. Foi um pouco espontâneo.”

“O arraial já é tão atractivo, que acho que não mudava quase nada.”

Rui Santos

Convidados desta conversa
Francisco Correia, o Hipster Pimba
Joana Mateus da Peixaria Centenária
Melânia Gomes, madrinha da marcha da Freguesia de São Vicente
Rui Santos da Associação Recreativa dos Amigos do Paço do Lumiar

Locutor – Pedro Saavedra
Captação de Som – Jorge Cabanelas
Sonoplastia – Rui Miguel/Dizplay

Quinto Capítulo do Modernista Tradicionalista
Texto de Valério Romão
Interpretação de João Tempera
Captação de som e sonoplastia Telmo Gomes
Música: Mephisto Polka (Franz Liszt) – Performed by Sofja Gülbadamova
Co-produção ZOV e Gerador