fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Ai Coração – rumo ao sentimento de ser português

A Carta do Leitor de hoje chega-nos pelas mãos de Leonardo Camargo Ferreira, que refletem sobre a representação musical portuguesa.

Texto de Leitor

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Sabem quando assistimos a três minutos de uma performance magnífica que nos faz recordar o bom que é sermos portugueses? O regalo de ouvirmos a nossa língua entoada, nas oscilações entre um ser e um estar fraternos, com movimentos que identificamos como estimadamente nossos? E, portanto, a expectativa de que cheguemos longe com as  valorosas propriedades daquilo que produzimos? Foi tudo isto que senti ao ter testemunhado a vitória de Ai Coração da Mimicat na final do Festival da Canção 2023.

A música da Mimicat interpela-nos através de uma portugalidade com que estamos familiarizados, mas, ao mesmo tempo, chegamos a desconhecer. O apelo ao coração e, portanto, à invocação das emoções nas nossas práticas, a conjugação colorida entre um negro-místico e um vermelho-existência, a sonoridade tradicional de cariz igualmente folclórico e elegante são características da nossa marca identitária. Portugal é o que esta canção transmite: uma ambivalência capaz de sentir saudades das coisas nunca havidas e uma esperança quanto a um futuro alegre e vívido.

O que não é ambivalente, contudo, é a qualidade deste presente que a artista nos ofereceu. Ritmo, organização, colocações diferentes da voz, poder, presença. As reações estrangeiras que tenho visto a partir dos comentários deixados nos vídeos relativos à nossa música têm sido imensas e extremamente positivas: elogiam-nos por encararmos a Eurovisão para lá de mais um show de um pop já esgotado e por trazermos mais um produto cultural diferente; valorizam o pendor étnico da canção e a aptidão vocal da cantora; chamam a esta música de vencedora. Estes são fenómenos que não podemos ignorar, mas antes reconhecer e disseminar para que Portugal seja visto como um país com grande mérito na originalidade artística. 

Para além disso, a Mimicat vê-se a si mesma como uma underdog, admitindo que vem “de um registo em que não há público.” Tal é confirmado e, mais importante, ultrapassado a partir do momento em que a artista, pouco conhecida, é a primeira de sempre a triunfar com uma música enviada em regime de livre submissão. Este feito desfaz o hábito elitista que tínhamos de eleger a nossa representação com base em autores convidados, livrando-nos de quaisquer amarras e permitindo-nos sonhar com muito sucesso em breve. 

Ouçam e reoiçam a canção nas próximas semanas para que a letra fique no ouvido e alcance a consciência. Se poucos sabíamos quem era Mimicat é tempo de nos redimirmos dessa desfeita. Para que em maio, no coração musical da Europa, façamos novamente história. Ai coração, ai Portugal! Obrigado, Mimicat.

Se quiseres ver um texto teu publicado no nosso site, basta enviares-nos o teu texto, com um máximo de 4000 caracteres incluindo espaços, para o geral@gerador.eu, juntamente com o nome com que o queres assinar. Sabe mais, aqui.
Texto de Leonardo Camargo Ferreira

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

23 Maio 2024

Carta do Leitor: O que a Europa faz por mim

16 Maio 2024

Carta do Leitor: Hoje o elefante. Amanhã o rato

18 Abril 2024

Carta do Leitor: Cidades Híbridas: onde podemos libertar as nossas cidades interiores!

28 Março 2024

Carta do Leitor: Conversa com a minha doença autoimune

7 Março 2024

Carta do Leitor: Guia-modelo de Competências de Liderança

3 Março 2024

Carta do leitor: O profano do sagrado quotidiano

22 Fevereiro 2024

Carta do Leitor: Os blogs empresariais vão sofrer o  efeito Milankovitch este ano

11 Fevereiro 2024

Carta do Leitor: Quem quer comprar um imigrante?

4 Fevereiro 2024

Excerto manifesto anti-exames

28 Janeiro 2024

Carta do Leitor – Desconstruir a Neuronormatividade: um chapéu de cada vez 

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

1 ABRIL 2024

Abuso de poder no ensino superior em Portugal

As práticas de assédio moral e sexual são uma realidade conhecida dos estudantes, investigadores, docentes e quadros técnicos do ensino superior. Nos próximos meses lançamos a investigação Abuso de Poder no Ensino Superior, um trabalho jornalístico onde procuramos compreender as múltiplas dimensões de um problema estrutural.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0