No Barómetro Gerador Qmetrics 2021, quisemos apurar dados que nos ajudassem a prever as circunstâncias que se aproximam, de maneira a ajudarmos a comunidade cultural a compreender qual será o comportamento dos portugueses num futuro próximo.

Para isso, pedimos aos inquiridos que, antes de responderem a um conjunto de perguntas, imaginassem um cenário em que, até final de agosto, a grande maioria dos portugueses já estaria vacinada. Com esse cenário em mente, os inquiridos indicaram até que ponto, numa escala de 1 a 10, em que 1 representa “Nada disponível” e 10 representa “Muito disponível”, estariam dispostos para participar nas atividades descritas em baixo.

Podemos observar que os portugueses estão principalmente disponíveis para ir a restaurantes, a festas em casa de familiares ou amigos e ao cinema. Habitualmente, em estudos que usam as escalas de 1 a 10, quem responde abaixo de 7 revela um sentimento de desconforto e incerteza. Assim, verificamos que é possível que continue a existir alguma insegurança na realização de certas atividades, apesar da vacinação de uma parte muito significativa da população. Espetáculos de teatro, festivais de música, bibliotecas e, especialmente, discotecas, surgem como as atividades e os locais que os portugueses estão menos disponíveis para frequentar. Esta informação pode ser relevante para promotores de espaços culturais, uma vez que existe uma necessidade acrescida de fazer com que o público se sinta mais seguro e confortável em algumas destas atividades.

Em segundo lugar, procurámos também averiguar a disponibilidade dos Portugueses para viajar. Concluímos que a população se mostra segura em relação às viagens terrestres feitas em carros particulares, num cenário em que uma percentagem muito significativa da população estará vacinada. No entanto, os inquiridos estão bastante mais adversos à utilização dos transportes públicos, quer dentro de Portugal quer para o estrangeiro. Como seria natural, os mais inseguros são os mais velhos, para quem, como é sabido, a Covid-19 constitui um maior risco.

Residentes no Grande Porto estão mais disponíveis para todas as deslocações, Principalmente para viagens dentro de Portugal em carro particular e para viagens para o estrangeiro, por via aérea.

Apesar do cenário hipotético que foi apresentado aos inquiridos não se afastar da realidade, não podemos deixar de ressaltar que o questionário se realizou em abril de 2021, pelo que é natural que, numa atmosfera tão instável, as respostas que obtivemos agora pudessem ser ligeiramente diferentes se a questão fosse colocada hoje, em agosto de 2021.

Quinzenalmente mergulhamos no Barómetro Gerador Qmetrics para te trazermos novas análises sobre a relação dos portugueses com a cultura. Fica atento aos próximos artigos!

O Barómetro Gerador Qmetrics é um estudo anual que analisa a opinião dos portugueses sobre a cultura. Realizado pela primeira vez em 2019, o âmbito do questionário deste ano incidiu, principalmente, nas consequências da pandemia na sociedade e na cultura. Sabe mais sobre o relatório de 2021 aqui e pede o teu relatório completo aqui.

Síntese Ficha Técnica

O universo do estudo é constituído por indivíduos com idade igual ou superior a 15 anos, residentes em Portugal Continental e Ilhas. A Amostra, com 1.200 entrevistas validadas, foi estratificada por região, sexo e escalão etário, em Portugal Continental, e por Ilhas, e distribuída em cada estrato de acordo com a repartição da população alvo em cada estrato. As entrevistas foram realizadas de 22 de março a 27 de abril de 2021, através de um questionário aplicado online utilizando o método CAWI (Computer Assisted Web Interview). Os resultados são apresentados com um nível de confiança de 95%. A margem de erro para a média na escala 1 a 10 é de 0,13 pontos e a margem de erro para a proporção é de 2,12 pontos percentuais.