fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Carta do Leitor: A nova crise não pode fazer esquecer as antigas

A Carta do Leitor de hoje chega pelas mãos de Bernardo Marta, que nos fala sobre as crises no Governo.

Texto de Leitor

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Numa manhã, Portugal entrou num corrupio político quando se soube que estavam a decorrer buscas em ministérios e no Palácio de São Bento, residência oficial do Primeiro Ministro. Buscas no coração do Governo, uma situação ímpar que deixa qualquer democrata de sobreaviso. Não me cabe a mim tecer considerações acerca da veracidade das acusações feitas, não trago condenações próprias de quem cavalga uma lamentável situação.

Quero salientar um facto curioso, de três negócios na origem destas investigações dois estão relacionados com a transição energética, as conceções da exploração de lítio em Montalegre e em Boticas e o projeto da central de hidrogénio. Embora os acontecimentos tenham origem em projetos que visam preparar um futuro (mais ou menos verde, disso não tratarei aqui), o drama político em nada contribuirá para uma alternativa ecológica. Arrisco a dizer que enquanto nos ocupamos com esta preocupante investigação desviamos a atenção da crise ecológica, já normalizada por quem nela vive desde sempre.

Um putativo caso de corrupção no Governo é gravíssimo, mas não é mais grave nem sequer igualmente grave à crise ecológica que vivemos. Nem do que a crise habitacional que não nos permite viver condignamente. Nem do que a crise dos cuidados. Nem do que o machismo empedernido. Nem do que o racismo. Nem do que a queerfobia. E para quem não vive cá isto nada significa, ainda mais quando comparado com a hecatombe das guerras que assolam este mundo, a fome, a falta de água, as migrações forçadas… enfim, a falta de dignidade humana completamente evitável. O nosso assombroso histórico dita que andemos rodopiando neste grave escândalo e deixemos os maiores problemas para segundo plano (talvez seja otimismo excessivo achar que lhes caberá o segundo plano).

O hábito de estar permanentemente em várias crises gera uma normalização de cada uma delas. Esta adaptação, que é uma forma algo escapista de lidar com um mundo adverso, impede uma abordagem propositiva de um futuro diferente. Pior, coloca em causa a própria possibilidade desse futuro ao minar a nossa capacidade de sonhar. Os limites do futuro estão nas mentes que o imaginam, não por bastar acreditar muito para que algo se realize, mas pelo contrário. Basta não acreditar que o colapso ecológico (ou outro problema qualquer) é evitável que ele surgirá como uma promessa autocumprida, serão os braços caídos e a baixa moral que o efetivarão pela desistência.

O foco da atenção humana é limitado e facilmente direcionado para os mais recentes acontecimentos. O problema é que essas novidades não são necessariamente as mais preocupantes. O apetite voraz pela novidade misteriosamente sobrepõe-se à gravidade dos problemas. São imensas as urgências que se passam e que ignoramos constantemente, vamos  ignorá-las até ser demasiado tarde? Vamos continuar até que elas se agudizem de tal forma que seja impossível ignorá-las?

Preocupemo-nos com o que as investigações judiciais, é impossível não fazê-lo e é bom que não o façamos. Mas tenhamos consciência que este drama político em nada se compara a tantos problemas que infelizmente tornámos banais. Vamos voltar a ter mão no nosso rumo, vamos escolher o nosso futuro.

Se quiseres ver um texto teu publicado no nosso site, basta enviares-nos o teu texto, com um máximo de 4000 caracteres incluindo espaços, para o geral@gerador.eu, juntamente com o nome com que o queres assinar. Sabe mais, aqui.

Texto de Bernardo Marta

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

23 Maio 2024

Carta do Leitor: O que a Europa faz por mim

16 Maio 2024

Carta do Leitor: Hoje o elefante. Amanhã o rato

18 Abril 2024

Carta do Leitor: Cidades Híbridas: onde podemos libertar as nossas cidades interiores!

28 Março 2024

Carta do Leitor: Conversa com a minha doença autoimune

7 Março 2024

Carta do Leitor: Guia-modelo de Competências de Liderança

3 Março 2024

Carta do leitor: O profano do sagrado quotidiano

22 Fevereiro 2024

Carta do Leitor: Os blogs empresariais vão sofrer o  efeito Milankovitch este ano

11 Fevereiro 2024

Carta do Leitor: Quem quer comprar um imigrante?

4 Fevereiro 2024

Excerto manifesto anti-exames

28 Janeiro 2024

Carta do Leitor – Desconstruir a Neuronormatividade: um chapéu de cada vez 

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0