fbpx

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Carta do Leitor: Hipocrisia ou a manutenção da doutrina!

A Carta do Leitor de hoje chega pelas mãos de João Pacheco Paulo, que reflete sobre as religiões.

Texto de Leitor

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

O Papa esteve em Portugal por conta da doutrina, mas foi tratado pelo Estado português como um chefe de Estado e na sua visita foram investidos milhões do honorário público num evento religioso, por um Estado que se diz laico. Curiosidades à parte, com este fenómeno financeiro sobre o qual o povinho parece compactuar, o Papa veio ao que dizem trazer uma palavra de inclusão, mas decerto a batida do padre DJ deixou alguns "fiéis" desatentos e/ou surdos, e por isso a mensagem parece não ter passado ou interiorizada como podemos achar, seria o pretendido.

Eu, enquanto descrente, não ainda ateu e como pessoa gay e ativista, confesso que me faz confusão as pessoas LGBTQIA + acreditarem que têm espaço na ICAR (Igreja Católica Apostólica Romana) ou em qualquer outra igreja cristã. Os dogmas e as doutrinas passadas ao longo dos séculos não contemplam pessoas como nós, a menos que sejam silenciosas e não praticantes. Por isso, os incidentes ocorridos durante esta Jornada Mundial da Juventude com pessoas LGBTQIA+, aos olhos da ICAR fazem sentido, mas nas palavras de Francisco são lamentáveis que alegados "fiéis" voluntários se tenham comportado com tanto ódio e exclusão, em um momento que deveria ser de inclusão e reunião de todos como filhos de Deus.

Não foi o que se viu. Pessoas foram empurradas para fora do recinto porque transportavam as suas bandeiras, igrejas foram invadidas porque os fiéis aí presentes pertenciam a uma comunidade "maldita", e até o desrespeito pelo espaço esteve na ordem do dia. Nas redes sociais, de credencial ao peito, alguém defecava nos jardins da Av. da Liberdade e no final das festas o recinto parecia ser a versão moderna de um festival de música, seja com menos lixo porque os copos custam dinheiro, mas com lixo, seja no comportamento cristão católico no seu melhor.

De certo será como diz o etólogo Richard Dawkins as pessoas doutrinadas pela religião parecem satisfeitas em não compreender o sentido das coisas que lhes são passadas, talvez por isso mesmo se ouça tantas vezes dizer, em momentos de adversidade, que "é vontade de Deus", sem mesmo se saber que vontade é essa que deixa crianças ao abandono, ou a padecer de fome e maleitas num mundo que tem como as salvar, mas "por vontade de Deus" não o fazem.

Clóvis de Barros Filho, jornalista e filósofo brasileiro, tem uma frase magnífica para descrever o  que penso cada vez mais sobre as pessoas que se dizem seguir uma determinada religião, nomeadamente a ICAR: "os poderosos sempre apoiaram fortemente o uso da religião, porque é justamente a religião que faz com que os pobres se conformem com suas vidas miseráveis e não se rebelem contra os poderosos que os exploram". Tirando aqui a questão dos poderosos, o poder da doutrinação da igreja é tão poderosa que as pessoas aceitam pacificamente as suas vidinhas de escravos da era moderna, presos a horas de trabalho, deslocações miseráveis, habitações de papel, porque desde que haja alguém abaixo deles suas vidas tem sempre outro significado, com o texto "podíamos estar bem pior, mas com a graça de Deus temos...", e com a graça de quem os outros não tem? Este questionamento não existe na cegueira de quem está preso no jugo da igreja.

Dito isto, não surpreende os incidentes documentados em audiovisual durante as JMJ. Foi apenas mais do mesmo, encefalias de pessoas que batem no peito durante a oração, para baterem no outro depois da homilia e antes dela, quem sabe.

Ainda aguardo os resultados extraordinários do "income" obtido com o investimento de mais de 38 milhões de euros do nosso dinheiro.

Leandro Karnal, historiador brasileiro, diz sobre a religião: "Parece que Deus fala exatamente o que as pessoas querem ouvir....e o mesmo fazem os seus emissários, seus santos, suas entidades, seus orixás, seus gurus".

Se quiseres ver um texto teu publicado no nosso site, basta enviares-nos o teu texto, com um máximo de 4000 caracteres incluindo espaços, para o geral@gerador.eu, juntamente com o nome com que o queres assinar. Sabe mais, aqui.

Texto de João Pacheco Paulo

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

23 Maio 2024

Carta do Leitor: O que a Europa faz por mim

16 Maio 2024

Carta do Leitor: Hoje o elefante. Amanhã o rato

18 Abril 2024

Carta do Leitor: Cidades Híbridas: onde podemos libertar as nossas cidades interiores!

28 Março 2024

Carta do Leitor: Conversa com a minha doença autoimune

7 Março 2024

Carta do Leitor: Guia-modelo de Competências de Liderança

3 Março 2024

Carta do leitor: O profano do sagrado quotidiano

22 Fevereiro 2024

Carta do Leitor: Os blogs empresariais vão sofrer o  efeito Milankovitch este ano

11 Fevereiro 2024

Carta do Leitor: Quem quer comprar um imigrante?

4 Fevereiro 2024

Excerto manifesto anti-exames

28 Janeiro 2024

Carta do Leitor – Desconstruir a Neuronormatividade: um chapéu de cada vez 

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [para entidades]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0