Decorre até dia 24 de Março, a quinta edição do Tremor. São mais de 40 concertos, cerca de dez residências artísticas, diversas actividades paralelas e um ciclo de conversas orientadas pela plataforma The Creative Independent que farão da ilha de São Miguel o epicentro para uma experiência que, desafia visitantes e locais a descobrirem algumas das mais recentes tendências criativas

Na lista de concertos, contam-se com nomes como Sheer Mag, 10000 Russos, Gonçalo, O Gringo Sou EU e Lava Jazz Quinteto. No trabalho desenvolvido com a comunidade, o fotógrafo Daniel Blaufuks apresenta o flme Levantados do Chão, musicado pela Banda Lira Sete Cidades; os músicos Rafael Carvalho e FliP redescobrem novos espaços para a viola da terra; o colectivo ondamarela une-se à Associação de Surdos da Ilha de São Miguel e a músicos locais para criar Som Sim Zero; a fotógrafa Pauliana Valente Pimentel inaugura a exposição O Narcisismo das Pequenas Diferenças; Renato Cruz Santos e Duarte Ferreira, durante o festival, documentam a experiência através de som e imagem para dar vida ao trabalho multimédia O Lugar da Paisagem; e O Gringo Sou EU junta-se, num espectáculo inédito, à Escola de Música de Rabo de Peixe.

Mas também há actividades para os mais novos. A estreia de Acalanto, do colectivo PELE, uma performance intergeracional com grávidas, seniores e crianças; e Impromptu, um jogo que envolve todos os presentes numa orquestra, sem ensaios e com músicos de todos os cantos da sala.

Até 24 de Março, serão várias as razões para percorrer São Miguel e descobrir a singularidade criativa da maior ilha dos Açores. Vê aqui o programa.