fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Inspirações que encontramos lá fora: Um restaurante cujo prato principal é a tolerância

Nas inspirações que encontramos lá fora da Revista Gerador 41, falamos sobre o impacto positivo do The Restaurant of Mistaken Orders (O Restaurante dos Pedidos Errados), no Japão, onde funcionários com demência desafiam estigmas ao proporcionar uma experiência gastronómica única.

Texto de Redação

©The Restaurant of Mistaken Orders

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Perda de memória frequente, alterações da personalidade, apatia, isolamento e perda de capacidades para a execução das tarefas diárias são, segundo a associação Alzheimer Portugal, alguns dos sintomas iniciais da demência, termo utilizado para descrever um «grupo alargado de doenças que causam um declínio progressivo no funcionamento da pessoa».

Christine Bryden, diagnosticada em 1995 e autora do livro Who Will I Be When I Die, sublinha, num artigo sobre a comunicação com pessoas com demência, a importância do tempo de espera. «Esperem que consigamos encontrar a palavra que queremos utilizar. Tentem não terminar as nossas frases. Oiçam e não nos deixem sentir embaraçados se perdermos o fio da conversa», sugere. Nesse sentido, e com a intenção de tornar a sociedade «um pouco mais aberta e relaxada», nasce, em 2017, a iniciativa japonesa The Restaurant of Mistaken Orders (O Restaurante dos Pedidos Errados, em português).

O projeto conta com uma equipa de atendentes de mesa composta por pacientes com demência e baseia-se no funcionamento itinerante para espalhar a consciencialização sobre a doença em diversas localidades do país. Ao falar dos estigmas que cercam o tópico, o produtor Shiro Oguni reafirma, no vídeo de apresentação do restaurante, o objetivo de contrariar as ideias de invalidação e isolamento atreladas à condição médica. «Com demência ou sem demência, podemos viver em harmonia», considera.

«Eles podem, ou não, acertar o seu pedido»

Nos registos da estreia da proposta, cuja taxa de aprovação alcançou os 99 %, o semblante de felicidade toma conta dos rostos de quem atende e é atendido. Quando a palavra de ordem é compreensão, o processo de escolher o que comer torna-se divertido e emocionante. «Isso foi escrito perfeitamente», agradece um cliente. «Isso é camarão e... O que era mesmo?», questiona-se, entre risos, uma das atendentes.

O segredo para o alto nível de satisfação num espaço que entrega pedidos de forma incorreta 37 % das vezes também está na garantia de uma boa experiência gastronómica. «Eles podem, ou não, acertar o seu pedido. No entanto, tenha a certeza de que mesmo que o seu pedido esteja errado, tudo em nosso cardápio é delicioso e único», lê-se na página oficial do Restaurant of Mistaken Orders, premiado 13 vezes, nacional e internacionalmente.

Os dados divulgados pela iniciativa referem ainda que 95 % dos primeiros clientes concordaram que o restaurante ajuda na promoção do debate sobre a demência. Depois de acompanhar o trabalho desenvolvido, os cuidadores dos atendentes confirmam igualmente um impacto positivo. «Participar deste projeto deu-me a chance de refletir sobre minha carreira e profissionalismo», relata Rikinobu Ogawa ao documentário sobre o serviço do restaurante para a equipa do Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar do Japão, em março de 2019.

Estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que há 47.5 milhões de pessoas com algum tipo de demência no mundo, sendo a doença de Alzheimer a mais comum (60 % a 70 % dos casos), e preveem que o número aumente para 75.6 milhões até 2030. Apesar de não existir um estudo epidemiológico nacional, Portugal é, no relatório Health at Glance de 2017 da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), o quarto país com mais casos por cada mil habitantes – 205 mil, cinco pontos acima da média –, e a previsão é de mais 117 mil diagnósticos até 2037.

A proposta japonesa pôs a cuidadora Setsuko Yoshioka a refletir sobre a necessidade de abolir os preconceitos acerca da doença: «Uma pessoa que teve um derrame não é definida apenas por esse evento médico. Porém, para uma pessoa com demência, toda a sua personalidade e destino são definidos pela condição. […] Você pode ser perfeitamente saudável, mas todos nós precisamos de ajuda de vez em quando.»

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

11 Março 2024

Maternidades

28 Fevereiro 2024

Crise climática – votar não chega

25 Fevereiro 2024

Arquivos privados em Portugal: uma realidade negligenciada

21 Fevereiro 2024

Cristina Branco: da música por engomar

31 Janeiro 2024

Cultura e artes em 2024: as questões essenciais

18 Janeiro 2024

Disco Riscado: Caldo de números à moda nacional

17 Janeiro 2024

O resto é silêncio (revisitando Bernardo Sassetti)

10 Janeiro 2024

O country queer de Orville Peck

29 Dezembro 2023

Na terra dos sonhos mora um piano que afina com a voz de Jorge Palma

25 Dezembro 2023

Dos limites do humor

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

Saber mais

1 ABRIL 2024

Abuso de poder no ensino superior em Portugal

As práticas de assédio moral e sexual são uma realidade conhecida dos estudantes, investigadores, docentes e quadros técnicos do ensino superior. Nos próximos meses lançamos a investigação Abuso de Poder no Ensino Superior, um trabalho jornalístico onde procuramos compreender as múltiplas dimensões de um problema estrutural.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0