fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Maternidades

Cátia Sousa fala-nos sobre a experiência desafiadora e transformadora de ser mãe, partilhando as suas reflexões sobre a maternidade.

Texto de Redação

Helena Lopes via Unsplash

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Ser mãe. 

O que é isso de ser mãe. O que é isso do desejo de ser mãe. O que é que o desejo de ser mãe diz sobre a minha relação com a minha mãe. 

Na verdade eu não tenho resposta para nenhuma destas questões. Deixo-as aqui em tom de provocação, para pensarmos nelas quando nos cansarmos de ver reels no instagram

Sempre foi meu desejo ser mãe. Em adolescente, e com o desconhecimento e imaturidade próprios da idade, achava que, sendo lésbica, não iria conseguir ser mãe. Essa perspectiva magoava-me mais do que pensar nas dificuldades que viria a viver enquanto mulher lésbica. Em abono da verdade, as dificuldades foram sendo ultrapassadas, com sorte e muito trabalho terapêutico, e a vontade de ser mãe permaneceu. Curiosamente, e agora que penso, nunca levei esta coisa da vontade de ser mãe à terapia. Devia. 

Hoje diz que sou mãe. Tenho um filho, é verdade. Um puto mesmo giro. Mais giro do que os outros putos giros, como dizem todas as mães. Aparentemente saudável e feliz. E que sorri sempre muito quando adormece em cima da minha mama direita. 

Não sou mãe teórica da maternidade. Não sei nada e não li quase nada sobre nada. O que sei, e que é pouquíssimo, tenho aprendido todos os dias com ele, e geralmente no dia seguinte, ou já não funciona, ou já não se aplica. 

Não sou perfeita, nem tenciono ser. Balizo-me por metas de sobrevivência: primeiro um dia, depois dois, depois uma semana, depois um mês, depois muitos. E tem funcionado. Esse é o tipo de mãe que sou — a “mãe tem funcionado”. 

Nada nos prepara para isto. Os dias transformaram-se numa repetição infinita de cuidados. As noções de existência mudam. O tempo tem outro ritmo. Dia e noite fundem-se. Minto: o dia é difícil e a noite é terrível. Nunca desejei tanto a luz do sol. 

40 semanas e um dia de gestação não chegaram para nos conhecermos. Eu não sei quem ele é e ele só conhece a “mãe-entranhas”. Somos uma espécie de recorte um do outro. Ele tem coisas minhas e eu tenho coisas dele, enquanto aprendemos, cada um à sua maneira, a sermos seres individuais.

Ser mãe para mim tem sido muito isto: aprender a existir agora que ele existe e sobreviver à deceção constante de não estar ao nível do idealizado. No tempo restante, ser mãe é ter uma mama direita que é almofada, cama, alimento, carinho, conforto, som, cheiro, calor.

*Esta crónica foi escrita com um bebé ao colo.

Texto de Cátia Sousa, publicado inicialmente na esQrever
*As posições expressas pelas pessoas que escrevem as colunas de opinião são apenas da sua própria responsabilidade.*

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

28 Fevereiro 2024

Crise climática – votar não chega

25 Fevereiro 2024

Arquivos privados em Portugal: uma realidade negligenciada

21 Fevereiro 2024

Cristina Branco: da música por engomar

31 Janeiro 2024

Cultura e artes em 2024: as questões essenciais

18 Janeiro 2024

Disco Riscado: Caldo de números à moda nacional

17 Janeiro 2024

O resto é silêncio (revisitando Bernardo Sassetti)

10 Janeiro 2024

O country queer de Orville Peck

29 Dezembro 2023

Na terra dos sonhos mora um piano que afina com a voz de Jorge Palma

25 Dezembro 2023

Dos limites do humor

14 Dezembro 2023

Tricotar janelas, segundo Sérgio Godinho

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

1 ABRIL 2024

Abuso de poder no ensino superior em Portugal

As práticas de assédio moral e sexual são uma realidade conhecida dos estudantes, investigadores, docentes e quadros técnicos do ensino superior. Nos próximos meses lançamos a investigação Abuso de Poder no Ensino Superior, um trabalho jornalístico onde procuramos compreender as múltiplas dimensões de um problema estrutural.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0