fbpx
Menu Grande Pesquisa
Carrinho0

Os Sentidos da Música com João Pais Filipe

Pela primeira vez a solo (conta no currículo com colaborações com Rafael Toral, por exemplo)  o portuense João Pais Filipe acaba de lançar o seu álbum homónimo. Explora o conceito do Ethno-Techno, que abrange características de músicas tribais e electrónica de dança, sem a esquecer a dinâmica forte da percussão e o groove que lhe é inerente. É o próprio músico que constrói, aliás, os seus gongos e os instrumentos metálicos de percussão. Agora, chegou a vez do João contar-nos como são os seus sentidos da música. Vamos lá descobrir.

 Para se evocar um sentimento ou uma emoção através da música, o lado racional pode atrapalhar ou, pelo contrário, ajudar?

Acho que na maioria das vezes pode ajudar. No sentido de haver algum controlo.

Qual é ou quais são as músicas que fazem o teu corpo mexer?

Mika Vainio - Hornitus
Suicide - Frankie Teardrop
Club Off Chaos - Kama

E aquelas que te conduzem a um estado de espírito imediato?

Can - One More Night
Steve Reich - Drumming Part II
Current 93 - The Cloud of Unknowing
Pan Sonic - Pan Finale
Muslimgauze - Blue Mosque
Iannis Xenakis - Rebonds B
Tony Oxley - The Advocate

Achas que o facto da música ser invisível, não palpável, ajuda-a a ser mais intuitiva e, por conseguinte, ter uma outra relação com a nossa consciência?

Não só com a nossa consciência, mas também com espectros que são igualmente invisíveis e não palpáveis. Mas é preciso ter em conta que na sua fonte, o músico e o instrumento são visíveis e palpáveis.


Já te aconteceu pensares numa imagem, num ambiente específico ou espaços enquanto compões?

Sim, aliás, penso que na maioria das vezes o processo começa sempre assim, uma imagem ou imagens muito específicas que depois se expandem e transformam.

Se pudesses desenhar e pintar a tua música, como seria e que cores teria?

Azul e Bronze.

Como é que imaginarias o sabor da música mais especial para ti? Doce, amargo, salgado como o mar, agridoce?

Salgado como o mar.

Pensa no cheiro mais importante para ti, aquele que ficou na tua memória. Que música lhe associarias?

Não sei se será o cheiro mais importante para mim, mas há um cheiro muito forte relacionado com o mar que imediatamente evoca a "Sea Priestess" dos Coil.

Achas que a música pode ser um bom veículo para fixar e guardar memórias? 

A música é inevitavelmente um veículo de memórias. Sejam elas boas ou más.

Entrevista por Ana Isabel Fernandes
Fotografia de Mónica Baptista

Se queres ler mais Sentidos da Música clica aqui.

NO GERADOR ABORDAMOS TEMAS COMO CULTURA, JUVENTUDE, INTERIOR E MUITOS OUTROS. DESCOBRE MAIS EM BAIXO.

Já pensaste em tornar-te sócio gerador?

Ser Sócio Gerador é ter acesso à assinatura anual da Revista Gerador (4 revistas por ano), a descontos nas formações da Academia Gerador, passatempos exclusivos, experiências e vantagens na cultura.

A tua lista de compras
O teu carrinho está vazio.
0