fbpx
Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Sistema eleitoral: que desafios para o interior do país?

Com Luís Filipe Madeira e Sónia SáData e local: 21 de abril às 19h nas…

Texto de Gerador

Apoia o Gerador na construção de uma sociedade mais criativa, crítica e participativa. Descobre aqui como.

Com Luís Filipe Madeira e Sónia Sá
Data e local: 21 de abril às 19h nas Carpintarias de São Lázaro, em Lisboa

As eleições legislativas estão distribuídas por 22 círculos eleitorais. 18 círculos no continente, que equivalem aos distritos, 2 círculos atlânticos, para as regiões autónomas, e 2 círculos internacionais, um para a Europa, outra para fora da Europa. Cada círculo elege um conjunto de deputados dependente da população recenseada nessa zona.

Ao longo dos anos, fruto da crescente perda de população no interior, tem existido uma significativa transferência de deputados para o litoral, diminuindo a voz de toda esta faixa do país na Assembleia da República. Nas eleições de 2022, a Grande Lisboa (considerando os círculos de Lisboa e Setúbal) elegeu exatamente o mesmo número de deputados do que todo o interior junto (Vila Real, Bragança, Viseu, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja).

Como deveremos refletir sobre estas tendências? Como garantir que o interior tem mais espaço para ser defendido? Como lidar com o número de votos não convertidos em deputados, que é assustadoramente maior nos distritos do interior? Há novos desafios para o sistema eleitoral?

Caso não possas comparecer no dia, poderás ver mais tarde a transmissão online desta conversa em gerador.eu. A gravação das conversas nas Carpintarias de São Lázaro serão disponibilizadas 24h após a sua realização.

Luís Filipe Madeira

Licenciado em Ciência Política e Relação Internacionais pela Universidade Católica de Lovaina, Bélgica. Mestre em Estudos Asiáticos e Africanos pela School of Oriental and African Studies da Universidade de Londres, U.K. Doutorado em Ciência Política pela Universidade Montesquieu de Bordéus, França. Atualmente é professor de Ciência Política na Universidade da Beira Interior, investigador Integrado do Centro de Investigação PRAXIS – Filosofia, Política e Cultura e diretor do Curso de Mestrado em Ciência Política da Universidade da Beira Interior.

Sónia Sá

Professora do Departamento de Comunicação, Filosofia e Política, Faculdade de Artes e Letras, Universidade da Beira Interior, nas áreas da assessoria e audiovisual, investigadora integrada no LabCom, Grupo de Comunicação e Média e assessora de comunicação da CooLabora (ONG).

Publicidade

Se este artigo te interessou vale a pena espreitares estes também

13 Abril 2022

Da Revolução à atualidade: o que significa a liberdade de expressão?

7 Abril 2022

Descobre as fotografias da primeira conversa da Idade da Liberdade

21 Fevereiro 2022

O que está a nossa democracia a fazer para reparar os danos do colonialismo?

21 Fevereiro 2022

Democracia e digital. Qual o impacto das novas tecnologias na democracia?

21 Fevereiro 2022

A efemeridade da memória coletiva 

21 Fevereiro 2022

Clube de Leitura: Racismo no país dos brancos costumes com Joana Gorjão Henriques

21 Fevereiro 2022

Clube de Leitura: Homossexualidade e Resistência no Estado Novo com Raquel Afonso

21 Fevereiro 2022

Clube de Leitura: Mário Domingues – A Afirmação Negra e a Questão Colonial com José Luís Garcia

21 Fevereiro 2022

Clube de Leitura: Processo de Humanização em Curso com Diogo Faro

21 Fevereiro 2022

25 de abril. Quais as consequências para os jovens hoje?

Academia: cursos originais com especialistas de referência

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Produção de Eventos Culturais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Narrativas animadas – iniciação à animação de personagens [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Viver, trabalhar e investir no interior [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Fundos Europeus para as Artes e Cultura I – da Ideia ao Projeto

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação ao vídeo – filma, corta e edita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Planeamento na Comunicação Digital: da estratégia à execução [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

O Parlamento Europeu: funções, composição e desafios [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Soluções Criativas para Gestão de Organizações e Projetos [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Comunicação Cultural [online e presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Iniciação à Língua Gestual Portuguesa [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Pensamento Crítico [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Jornalismo e Crítica Musical [online ou presencial]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Introdução à Produção Musical para Audiovisuais [online]

Duração: 15h

Formato: Online

30 JANEIRO A 15 FEVEREIRO 2024

Práticas de Escrita [online]

Duração: 15h

Formato: Online

Investigações: conhece as nossas principais reportagens, feitas de jornalismo lento

5 JUNHO 2024

Parlamento Europeu: extrema-direita cresce e os moderados estão a deixar-se contagiar

A extrema-direita está a crescer na Europa, e a sua influência já se faz sentir nas instituições democráticas. As previsões são unânimes: a representação destes partidos no Parlamento Europeu deve aumentar após as eleições de junho. Apesar de este não ser o órgão com maior peso na execução das políticas comunitárias, a alteração de forças poderá ter implicações na agenda, nomeadamente pela influência que a extrema-direita já exerce sobre a direita moderada.

22 ABRIL 2024

A Madrinha: a correspondente que “marchou” na retaguarda da guerra

Ao longo de 15 anos, a troca de cartas integrava uma estratégia muito clara: legitimar a guerra. Mais conhecidas por madrinhas, alimentaram um programa oficioso, que partiu de um conceito apropriado pelo Estado Novo: mulheres a integrar o esforço nacional ao se corresponderem com militares na frente de combate.

A tua lista de compras0
O teu carrinho está vazio.
0