É no âmbito do Festival de Teatro Vinte e Sete que o Teatro Municipal de Bragança vai receber a estreia da peça “TORGA L.I.B.E.R.D.A.D.E”, uma criação do Teatro da Garagem.

O espetáculo parte da obra de Miguel Torga para dar a conhecer a paisagem geográfica, humana e poética de Trás-os-Montes. A premissa é simples: a palavra liberdade é capaz de conter em si mesma muitas outras. Ao ser soletrada, dá origem a nove letras que se transformam elas próprias nas palavras condutoras desta peça peça. Ora vejam: Ler; Ira; Bondade; Estoicismo; Roca ou Rio; Destino e Decisão; Amor; Democracia; Eros.

Através destas palavras e dos seus significados cria-se uma celebração da paisagem transmontana, nunca literal mas sim a partir de um discurso metafórico, assente “na elaboração de um olhar que reverbera e ecoa, lançando uma neblina de invisibilidade passível de capturar a dimensão misteriosa da escrita torguiana; nenhuma imagem é, por conseguinte, literal, tratam-se, outrossim, de sequências fotogramáticas que pontuam, por si só, a possibilidade de um léxico visual, para que cada espectador descubra a ‘sua’ montanha, o ‘seu’ rio, a ‘sua’ L.I.B.E.R.D.A.D.E, o ‘seu’ Torga”, escreve o encenador Carlos J Pessoa.

O espetáculo estreia nos dias 13 e 14 de abril no Teatro Municipal de Bragança e segue depois para o Teatro Municipal de Vila Real nos dia 20 e 21 de abril, terminando no Teatro Académico Gil Vicente, dia 24 deste mês.

Já o Festival de Teatro Vinte e Sete prossegue até dia 27 de abril e contará ainda com as peças: “O último dia de um condenado”, “Mapa” e “Lindos Dias!”.