Escrever corretamente e expressar-se bem devia ser uma vontade de todos nós. Venho, por isso, propor um desafio. Aceitas? Vamos testar os teus conhecimentos de português.

Houve bons desempenhos?

ou

Houveram bons desempenhos?

A forma correta é: Houve bons desempenhos.

O verbo haver, no sentido de «existir», só se conjuga na 3.ª pessoa do singular. Neste caso, o verbo haver é considerado um verbo defetivo impessoal, porque não existe pessoa verbal, isto é, não há sujeito. No entanto, se o verbo haver for usado com o sentido de «ter», isto é, como auxiliar, conjuga-se em todas as pessoas, como em «Eles haviam tido bons desempenhos».

 

Hades conseguir?

ou

Hás de conseguir?

A frase correta é: Hás de conseguir.

Hás de é a segunda pessoa do singular do presente do indicativo do verbo haver com a preposição de. Neste caso, o verbo haver funciona como auxiliar e é conjugado em todas as pessoas, significando «ser obrigado a; pretender; desejar». Ora, Hades existe, mas é o nome de um deus grego, o deus do Inferno, do mundo inferior ou dos mortos.

 

Vou-te ajudar a terminar o trabalho.

ou

Vou ajudar-te a terminar o trabalho.

As duas frases estão corretas.

Quando temos um verbo auxiliar conjugado (vou) e um verbo principal no infinitivo (ajudar), o pronome surge à direita do verbo auxiliar (vou-te) ou do verbo principal (ajudar-te). Há, contudo, gramáticos que apenas aconselham a colocação do pronome à direita do verbo principal (vou ajudar-te), mas as duas formas são legítimas.

 

Isso é uma perca de tempo?

ou

Isso é uma perda de tempo?

A frase correta é: Isso é uma perda de tempo.

As palavras «perca» e «perda» costumam gerar muita confusão. Para não confundir as duas palavras em questão, devemos atentar ao significado de ambas.
Perca é uma forma verbal, ou seja, flexão do verbo «perder». Aparece na 1.ª e 3.ª pessoas do singular do presente do conjuntivo e na 3.ª pessoa do singular do imperativo.
Perda é um nome que significa privação (desapossar, excluir) de alguém ou de algo que se tinha. Na linguagem popular, perda e perca são sinónimos, mas deve evitar-se em linguagem formal.

 

A gente vamos de férias.

ou

A gente vai de férias.

A frase correta é: A gente vai de férias.

A expressão «a gente» designa um conjunto de pessoas no qual o locutor se inclui: A gente vai treinar. O verbo deverá estar sempre no singular, em concordância com essa expressão, a qual é singular.

 

Diria-te para resolveres isso rapidamente.

ou

Dir-te-ia para resolveres isso rapidamente.

A frase correta é: Dir-te-ia para resolveres isso rapidamente.

Emprega-se a mesóclise quando o verbo estiver no futuro do presente ou no condicional. Um exemplo clássico: «Diz-me com quem andas (ênclise) e dir-te-ei quem és.»

 

Estás com uma moral!

ou

Estás com um moral!

A frase correta é: Estás com um moral!

A moral é a ética – refere os princípios morais por que um indivíduo rege a sua conduta pessoal ou profissional.

O moral é a disposição, o estado de espírito.

 

Não sejas ovelha ranhosa!

ou

Não sejas ovelha ronhosa!

A expressão correta é: Não sejas ovelha ronhosa!

A expressão designa uma pessoa indesejável no seio de uma família ou de um grupo de pessoas. O adjetivo ronhoso formou-se a partir do nome ronha, que é uma doença que ataca alguns animais (uma espécie de sarna). Em sentido literal, uma ovelha ronhosa deve ser afastada do rebanho para não contaminar as demais e, em sentido figurado, refere uma pessoa indesejável num determinado grupo.

Ranhoso, aquele que tem ranho no nariz, designa em sentido figurado alguém com mau carácter ou que é desprezível.

Esta crónica do Afiar a Língua saiu na Revista Gerador de setembro, que podes comprar aqui.
Texto de Ana Salgado
Design de Carla Rosado e Hugo Henriques

Se queres ler mais crónicas do Afiar a Língua, clica aqui.