A 7ª edição da bienal espanhola traz, no mês de outubro, concertos exposições, cinema, artes cénicas e conferências a 18 municípios portugueses. A MOSTRA Espanha tem a sua apresentação no dia 7 de outubro no Museu Nacional de Arte Antiga com a apresentação de "A Infanta Isabel Clara Eugenia y Magdalena Ruiz", uma obra de Alonso Sánchez Coello do século XVI, que pertence à coleção do Museu do Prado, em Madrid.

A MOSTRA Espanha, festival bienal de cultura espanhola, regressou em setembro com a sua 7ª edição. O evento, promovido pelo Ministério da Cultura e Desporto de Espanha em Portugal, assume-se como um programa de atividades culturais “que tem como objetivo principal mostrar o dinamismo e a criatividade das indústrias culturais espanholas no momento presente”, querendo assim “proporcionar experiências para o diálogo cultural entre os dois países, que permitam criar projetos comuns num futuro imediato”.

Durante o mês de outubro, a 7ª edição apresenta mais de 22 atividades culturais, espalhadas por cerca de 18 municípios portugueses. Ainda que a apresentação formal deste mês seja no dia 7 de outubro com a apresentação de "A Infanta Isabel Clara Eugenia y Magdalena Ruiz", uma obra de Alonso Sánchez Coello do século XVI, que pertence à coleção do Museu do Prado, em Madrid, o festival inicia-se no dia 1 de outubro no Theatro Circo de Braga, com a peça "Gostava de estar viva para vê-los sofrer!", com a interpretação da atriz Ana Bustorff e encenação do espanhol Ignacio Garcia.  No dia 2 e 3 é a vez de Castelo de Vide e Marvão, respetivamente, receberem a atriz, dançarina e clown Mireia Miracle, com o seu espetáculo "Rojo".

No dia 6 de outubro, é apresentado "The Opera Locos" - um espetáculo cómico operístico -, em Águeda, seguindo-se o espetáculo duplo "Un Niño + For You", no dia 10 ( numa residência artística em Almada com elementos da Ca.DA Escola) resultante de uma parceria entre a Quinzena de Dança de Almada e o coreógrafo Jacob Gómez. Ainda sobre dança, o público pode assistir, em formato online, no dia 7 de outubro, ao novo trabalho de Marina Mascarell: "Bird Dog", um road movie de dança.

Ainda na Quinzena da Dança, o Teatro Joaquim Benite recebe, no dia 9 de outubro, a bailarina María del Mar Moreno, com "Memoria Viva". No Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra, nos dias 21 e 22 de outubro, é apresentado o espetáculo "Nise, a tragédia de Inês de Castro", pela companhia de teatro Nao d'amores, sobre uma das história de amor mais conhecidas dos portugueses - que também sobe ao palco do Teatro Municipal de Bragança no dia 23 de outubro.

A bienal é também feita de música erudita, por isso a Madrid Chamber Soloists Orchestra foi convidada a dar dois concertos, um no dia 16 de outubro no Museu do Dinheiro, em Lisboa, e o outro no dia seguinte em Torres Vedras. Pombal (no dia 23) Alcobaça (no dia 24) e o Centro Olga Cadaval, em Sintra (no dia 26), vão receber uma ópera que retrata o mundo surrealista de Salvador Dalí, "A vida secreta. Uma ópera de bolso", de Nuno-Côrte Real, mostra Salvaor Dalí através dos olhos da sua companheira Gala. Também guitarrista e investigador Samuel Diniz apresenta, na Igreja de Santiago, em Palmela, no dia 30 de outubro, o seu trabalho de recuperação e interpretação da música da Geração de 27, realizado com a guitarra original de Federico García Lorca.

Durante o mês de outubro será também possível percorrer as várias exposições, como a que será inaugurada a 7 de outubro na Galeria de São Mamede, em Lisboa, de Alberto Reguera - "Expandidas paisagens abstratas tridimensionais". Cascais recebe, na Fundação D.Luís I, "Rendición", da artista Núria Vidal e o Museu Nacional de Arqueologia acolhe "Ídolos. OIlhares Milenares", uma exposição que nos mostra como as comunidades agro-pastoris do centro e sul de Portugal e Espanha, com recurso a diferentes materiais e em linguagens codificadas, que foram legadas entre muitas gerações, representaram e trataram o corpo humano, recordaram antepassados e imaginaram divindades. No Centro Português de Fotografia, no Porto, inaugura no dia 23 uma exposição intitulada "Um Olhar Comprometido", de Nicolás Muller que reúne 125 fotografias do fotógrafo que testemunhou uma época que deixou a Europa pejada de cicatrizes e efetuou um registo notarial da forma como decorria a vida dos operários do seu tempo.
No final de outubro, dia 30, é inaugurado em Palmela "O Caminho Ilustrado. Uma viagem pintada por Alicia Aradilla", um projeto da ilustradora e autora de cadernos de viagem, que reúne 60 aquarelas.

Portugal e Espanha estreitam as suas relações também através da literatura, prova disso é o Encontro de Poetas de Portugal e Espanha, inserido no Festival Poesia a Sul, no Instituto Cervantes de Lisboa, no dia 20: Nuno Júdice, Manuel Alberto Valente, Maria do Sameiro Barroso, Fernando Cabrita e Salvador Santos, de Portugal, e Manuel Moya, Mario Rodriguez, Ignacio Vasquez-Molíni, Antonio Crespo Massieu e Carmen Vargas, de Espanha, são alguns dos poetas convidados. O Encontro de Poetas de Portugal e Espanha volta a Olhão, à Biblioteca Municipal, no dia 23 de outubro, com: Sara F Costa, Fernando Cabrita, Renato Filipe Cardoso, Rute Castro, Pedro Jubilot, Rogério Cão, Luis Ene, Vitor Cardeira , Manuel Alberto Valente e José Carlos Barros, de Portugal; Felisa Zarza, Juan Antonio Moniz, Alba Madero Milla, Carmen Vargas, Ignacio Vasquez Molini Uberto Stabile, Gema Etudillo e Carlos da Aira, de Espanha.

A Fundação José Saramago vai acolher o colóquio sobre a relação entre a edição e a tradução, no dia 28 de outubro, com moderação de Pilar del Rio. A presença da literatura na MOSTRA Espanha, em outubro, termina no Cine-teatro S. João em Palmela, no dia 30, para onde estão programados ao longo do dia um total de 6 conferências e 2 tertúlias sobre a história, geografia, arte, musicologia, religião ou economia, diferentes aspetos que se cruzam no Caminho de Santiago. A jornada termina com um concerto temático sobre Lorca e a peregrinação, pela mão do guitarrista clássico Samuel Diz.

Por fim, a partir de 26 de outubro, será possível visitar, no porto de Lagos, A Nau Victoria, uma réplica do navio que, entre 1519 e 1522, conseguiu realizar a maior aventura marítima da história: a Primeira Volta ao Mundo dos capitães Magalhães e Elcano. A Nau abre as portas a grupos de centros educativos na marina de Lagos nos dias 26, 27, 28 e 29, das 10h às 14h. A entrada é gratuita, mas de marcação prévia para: mesteban@fundacionnaovictoria.org .

Texto de Patrícia Nogueira
Fotografia da cortesia da MOSTRA Espanha

Se queres ler mais notícias sobre a cultura, clica aqui.