fbpx
Menu Grande Pesquisa
Carrinho0
Quarta-feira, 18 Março 2020

Outros Quinhentos: Uma posta de pescada

“Olha aquele ali a mandar postas de pescada!”

Será que podemos mandar uma posta de robalo? Não, não me parece. Português que se preze manda postas de pescada, não é assim? Ou talvez não! Há também quem arrote postas de pescada, nada bonito, não? Mas, na verdade, estes dois verbos “mandar” e “arrotar” acompanham muitas vezes a posta… de pescada como vamos ver a seguir.

Arrotar/mandar postas de pescada quer dizer que alguém se está a gabar ou a vangloriar muito, que está a bazofiar! E geralmente gaba-se de coisas que não correspondem bem à realidade. São os gabarolas, são esses que mais postas de pescada mandam.

Mas porquê uma posta de pescada e não de outro peixe qualquer?

Usemos o exemplo de cima. Ninguém se imagina a dizer: “Olha aquele ali a mandar postas de salmão!” Não, não soa bem. Raios! Para funcionar e fazer sentido, tem mesmo de ser pescada. Então, porquê?

Ao que tudo indica o uso de pescada não é mesmo por acaso. A pescada era um peixe caro, não era para a boca de qualquer um. Durante vários séculos, a pescada foi considerada valiosa. No Foral de Lisboa, em 1500, este peixe encontrava-se na lista das preferências, seguido dos gorazes, cachuchos ou cavalas, e por aí em diante: “O conduto dos pescadores de Lisboa é este: a cada um, uma pescada se a trouxerem; e, se trouxerem gorazes, a cada um, quatro; e se cachuchos ou cavalas, a cada um, seis […]”, etc.

Aqui vos deixo com mais uma expressão bem nossa. Até breve, e já sabem: podendo, fiquem por casa. Os tempos não estão fáceis.

Texto de Ana Salgado
Ilustração de Amalteia

Se queres ler mais crónicas do Outros Quinhentos, clica aqui.
gerador- outros-quinhentos-pescada

MAIS ARTIGOS DE Mais, DESTAQUE

Mais 19.Set.2021

Manual de Sobrevivência: Trabalhador/a independente. Sou ou não sou, eis a questão?

*Esta é uma crónica da Sara Barros Leitão, inicialmente publicada na Revista Gerador de setembro. Desde a edição anterior desta revista que comecei uma série de crónicas dedicadas ao trabalho na cultura.…

Gargantas soltas 19.Set.2021

As eleições de todos

Estamos a uma semana das eleições mais inclusivas de sempre. Qualquer eleição autárquica tem uma relevância no exercício público de cidadania incomparavelmente superior a outras eleições em Portugal. Dia 26…

Reportagens 19.Set.2021

#InstaHeritage. Olhar o património cultural da região de Leiria através do Instagram para aproximar os jovens da história

Conhecer e mergulhar no património através da fotografia. Esta é a premissa do InstaHeritage, uma forma de conhecer o município da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria, juntando instagrammers, jovens…

Notícias 18.Set.2021

Até novembro, o "Cogito" quer debater o humanismo tecnológico

Até que ponto a tecnologia nos está a influenciar na forma como estamos com os outros? Seremos melhores ou piores pessoas? O Cogito - Ideais que transformam está de volta…

Gargantas soltas 18.Set.2021

Ainda vais ao Clubhouse?!

Epá, sinceramente não estava à espera de dizer isto ainda em 2021 - o ano da explosão do Clubhouse, parece ser o ano da sua desvalorização. Então porquê? Porque todo…

Investigação 18.Set.2021

Joana Freitas: "Os programas de apoio [à habitação] fazem-nos uma série de exigências que não dependem de nós"

A Academia Gerador realizou, em 2021, um estudo em que questionou os portugueses sobre quais seriam as maiores dificuldades que os jovens enfrentam hoje em dia. Pedimos aos inquiridos que…

Carrinho
There are no products in the cart!
Continue Shopping
0
{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}
X
X
Partilhar
Copy link
Powered by Social Snap