A nossa crónica diária Gargantas Soltas tem novos autores. Todos os dias de manhã, às 08h30, soltamos opiniões de personalidades que admiramos, sobre temas fulcrais da cultura e sociedade portuguesa, como a política, sustentabilidade, saúde mental, feminismo ou arte, nas suas várias dimensões.

A nossa visão e definição de cultura vai para além dos conceitos tradicionais, e é esse olhar que procuramos trazer com os nomes que dão voz às nossas Gargantas Soltas. 2021 trouxe-nos novos autores, que vão enriquecer e alargar o nosso leque de temáticas. Conhece aqui os mais recentes cronistas, que este ano passam a fazer parte das tuas manhãs:

Joana Barrios

Para além de ser autora do blog Trashédia, onde escreve o que lhe apetece, sobretudo sobre moda, é também apresentadora da magazine da RTP Armário, onde revela perspetivas menos óbvias e pessoais, e procura responder a perguntas raramente feitas e deambular pelos caminhos da indústria têxtil, surpreendente e às vezes incompreensível. É atriz do Teatro Praga e autora do livro de receitas de mãe para mãe, Nhom Nhom.

Marta Crawford

É psicóloga, sexóloga e terapeuta familiar. Apresentou programas televisivos como o AB Sexo e 100Tabus. Escreveu crónicas e publicou os livros: Sexo sem TabusViver o Sexo com Prazer e Diário sexual e conjugal de um casal. Criou o MUSEX, Museu Pedagógico do Sexo, e é autora da crónica «Preliminares» na Revista Gerador.

Marco Mendonça

Nasceu em Moçambique, em 1995. É licenciado em Teatro pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Desde 2014, trabalhou com diversas companhias de teatro portuguesas, como The Lisbon Players, Os Possessos, Mala Voadora e no Teatro Nacional D. Maria II. Em 2019, estreou-se como autor e co-criador em Parlamento Elefante, projeto vencedor da primeira edição da Bolsa Amélia Rey Colaço. Atualmente, integra o elenco de Sopro e Catarina e a beleza de matar fascistas, de Tiago Rodrigues.

Catarina Maia

Estudou Comunicação e em 2017 descobriu que as dores menstruais que sempre sentiu se deviam a uma doença crónica chamada endometriose, que afecta 1 em cada 10 pessoas que nascem com vulva. Por essa razão criou o blog O Meu Útero e, desde então, desenvolve um trabalho de ativismo e feminismo nas redes sociais para prestar apoio a quem, como ela, sofre de sintomas da doença.

Marta Guerreiro

Nasceu em Setúbal, cresceu numa aldeia perto de Palmela e, aos 19 anos, mudou-se para o Alentejo. Licenciou-se em Animação Sociocultural, vertente de Património Imaterial, onde desenvolveu competências sobre investigação e salvaguarda de tradições culturais. Atualmente coordena a associação PédeXumbo, onde desenvolve projetos ligados à dança e música tradicional.

A primeira crónica do Marco Mendonça, da Catarina Maia e da Marta Guerreiro, já está disponível no nosso site. A partir do dia 11 de fevereiro vais poder ler as opiniões de Joana Barrios e, a partir do dia 22, as de Marta Crawford.

Acompanha também as vozes dos autores que já escrevem regularmente para o site Gerador, tais como Nuno Varela, fundador da Hip Hop Sou Eu, a ilustradora Clara Não, ou o sociólogo e político João Teixeira Lopes.

Podes ainda subscrever a Newsletter das Gargantas Soltas para receberes semanalmente, na tua caixa de correio, as últimas novidades desta crónica diária.

Descobre este espaço livre de opinião, sem temas impostos, onde as palavras dos autores e artistas soltam-se, sem interferência do Gerador.