Ao desenharmos o estudo Barómetro Gerador Qmetrics 2020, pareceu-nos inevitável que o mesmo se debruçasse sobre as repercussões da pandemia na sociedade, nomeadamente sobre as consequências da mesma na relação dos portugueses com a cultura. Quisemos então olhar para as potenciais alterações que os hábitos de consumo cultural sofreram, e perceber também se a perceção que os portugueses têm sobre as diversas funções da cultura teria sido afetada.

Concluímos que, apesar das restrições à circulação e do encerramento dos espaços culturais,  mais de metade dos inquiridos (55,4%) consideram ter mantido o seu consumo de cultura durante os primeiros meses de pandemia, sendo que 17% afirmam ter até passado a consumir mais. No entanto, para 24% o consumo cultural passou a ser menor.  Neste aspeto, tal como em vários outros ao longo do Barómetro, é clara uma relação directa com o nível de escolaridade, uma vez que o consumo de cultura parece ter aumentado, principalmente, entre os inquiridos que possuem um nível de escolaridade superior. 

Quisemos também saber saber se “A cultura pode desempenhar um papel mais ou menos importante nesta fase” e foi evidente o aumento da importância atribuída à mesma durante as restrições de circulação. Apesar de ¼ dos inquiridos estar convicto de que a cultura é tão relevante como sempre foi, 60% afirmaram que esta pode ter desempenhado um papel mais importante na vida das pessoas durante este período.

Dos que se posicionaram afirmativamente em relação a esta questão, 56% consideraram que a cultura contribui para que consigamos interpretar melhor as circunstâncias actuais em que vivemos, e 49% ressaltaram o aumento da sua importância enquanto forma de estar em contacto com os outros. 

São apenas 20% aqueles que afirmaram atribuir o aumento dessa importância à necessidade de “ter coisas para fazer”, enquanto que a maioria, cerca de 80%, destaca o papel da cultura na obtenção de novos conhecimentos durante este período. Esta resposta encontra-se claramente alinhada com a percepção que 70% dos portugueses têm da cultura enquanto área mais próxima da educação do que do entretenimento, um dado que já havia sido aferido no Barómetro de 2019 e que se voltou a evidenciar em 2020. 

Apenas cerca de 11% dos inquiridos considerou que a cultura pode ter tido menos relevância nesta altura, e a maioria (59%) admite que isso se deve ao facto de terem outras prioridades. No entanto, não deixa de ser evidente a valorização acrescida das atividades culturais durante este período, e é de ressaltar que apenas 15% dos portugueses considera que o Estado tenha tomado as devidas medidas no que toca ao apoio ao sector, como analisamos neste artigo.

Quinzenalmente mergulhamos no Barómetro Gerador Qmetrics para te trazermos novas análises sobre a relação dos portugueses com a cultura. Fica atento aos próximos artigos!

O Barómetro Gerador Qmetrics é um estudo anual que analisa a opinião dos portugueses sobre a cultura. Realizado pela primeira vez em 2019, o âmbito do questionário deste ano incidiu, principalmente, nas consequências da pandemia na sociedade e na cultura. Sabe mais sobre o relatório de 2020 aqui e pede o teu relatório completo aqui.

Síntese Ficha Técnica

O universo do estudo é constituído por indivíduos com idade igual ou superior a 15 anos, residentes em Portugal Continental e Ilhas. A Amostra, com 1.201 entrevistas validadas, foi estratificada por região, sexo e escalão etário, em Portugal Continental, e por Ilhas, e distribuída em cada estrato de acordo com a repartição da população alvo em cada estrato. As entrevistas foram realizadas de 20 de abril a 7 de maio de 2020, através de um questionário aplicado online utilizando o método CAWI (Computer Assisted Web Interview). Os resultados são apresentados com um nível de confiança de 95%. A margem de erro para a média na escala 1 a 10 é de 0,15 pontos e a margem de erro para a proporção é de 2,83 pontos percentuais.