Entre 4 e 30 de junho, a Biblioteca Camões, no Largo do Calhariz, em Lisboa, contempla a exposição “(Im)possibilidades Coletivas – Lugares de incompletude e complacência”, que aborda a “impossibilidade de vermos a paisagem da mesma maneira, enquanto ‘coisa’ subjetiva”.

Os artistas responsáveis pela exposição, Bruno Santos, David Lopes, Geraldo Eanes, Juliette Bayen e Miguel Refresco, refletem sobre “o desígnio de transformar o mundo, alimentado pelas urgências, sejam elas de ordem social, económica ou ambiental” que são, e “sempre foram difíceis, mas não impossíveis”, ao olhar dos autores.

As obras  procuram explorar as possibilidades do olhar de cada espetador, e de que forma sente a incompletude e complacência das imagens, através da observação do detalhe, da ruína e da própria transformação da paisagem que é observada.

Com a curadoria de Hélder Castro, a exposição está patente na Biblioteca Camões até ao dia 30 de junho, com entrada gratuita durante a semana, de segunda a sexta, das 10h às 13h30.

Local: Biblioteca Camões, Lisboa

Horário: 4 a 30 de junho, segunda a sexta, das 10h às 13h30

Preço: Entrada Gratuita

Fotografias disponíveis na página de facebook Bibliotecas Municipais de Lisboa