Carapau de corrida é uma expressão popular usada para fazer referência a uma pessoa que se considera muito esperta. Usa-se frequentemente precedida do verbo armar: armar-se em carapau de corrida.

A sua origem não é certa, mas há algumas explicações possíveis.

Os carapaus são peixes muito rápidos, mas mesmo assim acabam por ser apanhados nas redes de pesca. Ou seja: mesmo que haja pessoas que se julguem muito espertas, estas também podem vir a ser apanhadas.

Uma outra explicação aponta para a venda do peixe. Ora, nas lotas o peixe é vendido em leilões invertidos, isto é, começa-se por anunciar o preço mais alto e este vai decrescendo até que um comprador o arremate. O peixe mais caro, ou seja, o melhor peixe, é vendido em primeiro. Os peixes de qualidade mais fraca ficam para o final.

Acontece que as peixeiras, que compravam o peixe de pior qualidade a um preço mais barato, iam a correr até à vila para chegar ao mesmo tempo que as primeiras peixeiras que já lá tinham chegado com o peixe mais caro e de melhor qualidade que tinha sido vendido na lota em primeiro lugar. As últimas peixeiras chegadas tentavam enganar os clientes vendendo o seu peixe ao mesmo preço que as restantes. Nem sempre os fregueses se deixavam enganar e percebiam que aquele peixe era «carapau de corrida», de menor qualidade e trazido até à vila literalmente a correr.

E assim me despeço com amizade até à próxima crónica.

Texto de Ana Salgado
Ilustração de Sèrgio Neves

Se queres ler mais crónicas do Outros Quinhentos, clica aqui.
gerador-outros-quinhentos-armar-se-em-carapau-de-corrida