Os resultados da 1.ª fase de acesso ao ensino superior público foram recentemente divulgados. Com a média mais elevada é Engenharia Aeroespacial que, este ano, fica no pódio. No Instituto Superior Técnico, em Lisboa, a média é de 18,95 valores. Segue-se Engenharia Física Tecnológica, com 18,88 valores, da mesma instituição. E Medicina, noutros tempos, a ocupar os primeiros lugares, surge em quinta posição, é caso para dizer que estes estudantes do secundário andaram mesmo a “queimar as pestanas”! Sim, com médias tão elevadas, estes alunos tiveram de estudar mesmo muito. Eis o mote para a expressão do dia: queimar as pestanas.

A expressão é antiga e remete para os alunos dedicados. Há muito tempo, antes de existir eletricidade, os estudantes estudavam à luz de velas e lamparinas. Uma luz fraca (e… pouco segura também…). Assim, para verem melhor, tinham de aproximar os olhos da chama, correndo o risco de… queimar as pestanas! Pois é! Aqui está uma explicação para o uso desta expressão queimar as pestanas, mas por uma boa causa, uma boa nota, uma média alta.

A expressão vingou e, mesmo com eletricidade e novas tecnologias, continua a ser muito usada.

A todos os que estão a ingressar no ensino superior, votos de um curso exitoso! E um abraço aos restantes leitores.

E assim: despeço-me com amizade até daqui a 15 dias.

Texto de Ana Salgado
Ilustração de Sérgio Neves

Se queres ler mais crónicas do Outros Quinhentos, clica aqui.