Em homenagem a Santa-Rita Pintor – artista da primeira geração de pintores modernistas portugueses — e tendo como base o Manifesto Futurista - num projeto de colaboração entre a União de Freguesias de Cascais e Estoril com o artista Fidel Évora e produção criativa da Ghost Creative Productions — será realizada a exposição Estoril Futurista, resultado de um workshop com alunos da Escola Básica de São do Estoril, uma conversa, e uma intervenção pública de Fidel Évora, na Rua de Santa Rita, em São João do Estoril.

A exposição, com entrada gratuita, inaugurou dia 10 de Julho, na Galeria de Arte Estoril, podendo ser visitada até ao dia 23 de Julho, de segunda a sexta, entre as 9h00 e as 17h00.

No último dia da exposição (23 de Julho), haverá uma conversa, às 19h00, que abordará ideias acerca do mundo criativo, do movimento futurista, da educação, entre outros temas, com a participação de João Macdonald, investigador em história da arte e especialista em Modernismo português, Pedro Teixeira da Mota, investigador, e Guilherme de Santa-Rita, sobrinho neto de Santa-Rita Pintor.

Resultado de um workshop de pintura e serigrafia desenvolvido por Fidel Évora com alunos entre os 6 e os 9 anos, a exposição é a materialização das experiências, desenvolvimentos de novas texturas inspiradas pelo corpo de trabalho, metodologias de criação e principais agentes de inspiração do artista educador com objetivo de dotar e dar a conhecer aos alunos ferramentas e perspetivas que lhes permitam materializar as suas ideias em criações artísticas individuais num ambiente educativo e fortemente focado em liberdade de expressão criativa.

A fase final do projeto é uma intervenção criativa e de reabilitação de um muro no espaço público da União de Juntas do Estoril e Cascais, também na Rua de Santa Rita, em São João do Estoril, concebida e executada pelo artista Fidel Évora, a partir de dia 12 de Julho.

Recorrendo a referências visuais e teóricas deste movimento, pretende-se igualmente divulgar a importância do movimento futurista e a sua evolução desde o início do século XX, data do seu nascimento, mais concretamente a 20 de Fevereiro de 1909, após a publicação da sua “constituição”, o Manifesto Futurista.

Os seguidores deste movimento veem no progresso e na industrialização uma forte fonte de inspiração, sendo bastante comum observarmos pinturas ou criações futuristas representativas de máquinas ou outros objectos mecânicos em movimento. Foi neste género artístico que Guilherme Santa Rita se tornou num ícone mundial do movimento com as suas pinturas, sendo uma das diversas referências a abordar durante o workshop proposto.

Texto a partir de comunicado
Fotografia de Manuel Lino
gerador-estoril-futurista