Depois de em 2019 se celebrar o centenário de Sophia de Mello Breyner, o ano de 2020  celebra-se o centenário do dramaturgo Bernardo Santareno. A Fundação Calouste Gulbenkian rende a sua homenagem já no dia 18 de janeiro com um colóquio que dá início às festividades que se estendem pelo ano inteiro.

Com curadoria de Fernanda Lapa, diretora da Escola de Mulheres, o colóquio abre às 10h00 e inicia às 10h30 com a conferência Bernardo Santareno: Teatro, Utopia, Performatividade, por Susana Moura, seguindo-se às 11h20 de outra com um painel composto por Graeme Pulleyn, Miguel Moreira, Nuno Carinhas e Álvaro Garrido. 

Após um intervalo entre as 13h00 e as 14h30, segue-se a conferência com José Manuel Mendes, Júlio Gago, José Manuel Vasconcelos e Carina Infante do Carmo. Entre as 15h35 e as 16h35 Vicente Batalha, Carlos Avilez, Luís Castro e Antonino Solmer juntam-se para a última conferência do dia: O Homem de Teatro necessita do público de uma maneira carnal, pois o Teatro é, em si mesmo, a expressão artística mais carnal de todas. O colóquio acaba com a exibição do documentário de Luís Filipe Costa, Bernardo Santareno Português, Médico, Escritor.

O evento decorre no auditório 2 do Edifício Sede e a entrada é livre. Sabe mais sobre este evento, aqui.

Local: Fundação Calouste Gulbenkian

Data e hora: 18 de janeiro entre as 10h00 e as 18h00

Preço: Entrada livre

Still do vídeo de apresentação disponível via Facebook

Se queres saber mais sobre a agenda da cultura em Portugal, clica aqui.