O Espaço Cultural Mercês, no Príncipe Real, em Lisboa, recebe a partir do dia 3 de julho, uma exposição coletiva de artistas plásticos portugueses que pretende assinalar o Dia Mundial do Refugiado 2019.

Estoutro – título da exposição que “exprime, de forma análoga, esta união, trazendo para perto aquele que é distante” – conta com a participação de 12 artistas plásticos de “práticas assumidamente distintas”, e que recorrem à arte como forma de “questionamento”, “testemunho” e “forma de intervenção no espaço público”, refere a organização.

Assim, estarão expostas obras de Bárbara Bulhão, Beatriz Coelho, Carolina Serrano, Diogo da Cruz, Fábio Colaço, Francisco Duarte Coelho,Gonçalo Fonseca + Maria Contreras, Joana Galego, Nádia Duvall, Pedro Barros e Tiago Mourão.

“Propondo uma reflexão assente em dois momentos distintos, a exposição compreende um itinerário que parte da ideia de distância e alheamento, promovendo, progressivamente, o que se poderá definir como aproximação e encontro”, acrescentam os organizadores em comunicado.

 Obra “A perfect place”, de Bárbara Bulhão

Esta iniciativa, que inclui um programa de oficinas sobre interculturalidade e cidadania global orientadas por Joana Simões Piedade, é um projeto comissariado por Beatriz Coelho (artista plástica), Francisca Gigante (curadora) e Inês Espada Vieira (investigadora), sendo ainda apoiado institucionalmente por várias organizações: Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados; Alto Comissariado para as Migrações; Centro de Reflexão  Cristã; Coletivo  Tarimba; Comité Olímpico  Português; Junta de Freguesia da Misericórdia; Obra Católica Portuguesa de Migrações; Plataforma de Apoio aos Refugiados; Serviço Jesuíta aos Refugiados.

A exposição Estoutro pode ser visitada até ao dia 10 de julho, em dias úteis, das 14h às 20h.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia da obra not on holidays, de Beatriz Coelho

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.